SEMANÁRIO ZONA NORTE - JORNAL DE MAIOR CIRCULAÇÃO NA ZONA NORTE

Notícias Segurança Pública

Semanário da Zona Norte recebe a visita dos comandantes do CPA/M-3 e do2º BPTran

O cel. PM Henguel Ricardo Pereira, comandante do Comando de Policiamento de Área Região Três - Zona Norte (CPA/M-3)

Semanário da Zona Norte recebe a visita dos comandantes do CPA/M-3 e do2º BPTran
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

O cel. PM Henguel Ricardo Pereira, comandante do Comando de Policiamento de Área Região Três - Zona Norte (CPA/M-3) e o tenente-coronel PM Paulo Sérgio de Oliveira, comandante do 2º BPTran e o visitaram na terça-feira, dia 8 de março, a sede do jornal Semanário da Zona Norte.  Ambos foram recebidos pelo diretor João Carlos Dias. 


Na ocasião eles abordaram vários assuntos entre eles as suas trajetórias na Polícia Militar do Estado de São Paulo, a expectativa em assumir os novos cargos, o significado  do CPA/M-3 e do 2º BPTran, o papel da mulher na corporação e a importância das mídias regionais, em especial o Semanário da Zona Norte. 
Confira na íntegra as entrevistas: 


Cel PM Henguel Ricardo Pereira


JSZN: Fale um pouco sobre sua trajetória profissional
Cel. PM Henguel: Nasci em 10 de maio de 1971 em São Paulo. Fui aspirante a oficial em 15 de dezembro de 1993 com estágio operacional em todos os Batalhões de Choque. Servi as unidades: Regimento de Policia Montada (RPMON), Comando de Policiamento de Choque (CPChq), Secretaria da Segurança Pública( APMSSP), 1º, 2º Grupamentos de Bombeiro, Comando de Bombeiros Metropolitano, Casa Militar e atualmente Comando de Policiamento de Área Metropolitano 3.


JSZN: Qual sua formação?
Cel. PM Henguel: Bacharel em Ciências Jurídicas, pela UNICSUL, turma 2005; engenheiro civil, pela UNG, turma 2008; e engenheiro de Segurança do Trabalho, pela UNG, turma 2009. 


JSZN: E seu hobby?
Cel. PM Henguel: Caça Subaquática e Equitação.


JSZN: O senhor se inspirou em alguém da família?
Cel. PM Henguel: Fui criado pelos meus avós, tive como incentivo e inspiração meu tio, na época oficial da PMESP.

 
JSZN: Neste tempo de PM houve alguma ocorrência que marcou sua trajetória profissional?
Cel. PM Henguel: Queda do avião da empresa TAM em 2007. Fui o primeiro membro da corporação a chegar ao local do acidente do voo JJ 3054 e consegui retirar do terceiro andar do prédio da TAM Express a primeira vítima com vida da tragédia.


JSZN: Qual orientação o senhor deixa para os jovens militares?
Cel. PM Henguel: O jovem ao ingressar na Policia Militar tem que ser consciente de nunca desistir do crescimento profissional e de que a autoridade que lhe é delegada pela sociedade é uma honra, porém uma responsabilidade servir a população paulista.
Uma vez que seja o seu sonho, continue com seus objetivos e tenha resiliência, pois a carreira exige dedicação, abdicação de tempo com a família.


JSZN: O número de mulheres na corporação cresce a cada ano. Como o senhor vê este avanço?
Cel. PM Henguel: Vejo com bons olhos, principalmente na questão da igualdade, onde as mulheres alcançaram o mesmo espaço que os homens, especialmente na função que exige mais empatia e cuidado, com funções diárias mais amplas e profundas e fazem a total diferença na vida dos cidadãos, pois contribuem para o bem estar coletivo e para construção de uma sociedade mais justa e igualitária.


JSZN: O que significa para o senhor comandar o CPA/M-3? Qual sua expectativa?
Cel. PM Henguel: Será um desafio, pois a Zona Norte além de grande, possui tipicidades de crimes, onde pretendo combater de frente, potencializando o Serviço Operacional e Força Tática. Contando com o apoio do serviço de Inteligência, planejamento de operações e apoio tático.


JSZN: Quais ações o senhor pretende implantar na unidade?
Cel. PM Henguel: Fortalecer o serviço operacional, trabalhar próximo às comunidades e implementar treinamentos para a tropa.


JSZN: Qual a importância das polícias comunitárias e dos Consegs?
Cel. PM Henguel: Fundamental, pois é o canal direto para a comunicação entre a corporação e a comunidade, sabendo a realidade para assim obter melhor policiamento ostensivo e preventivo.


JSZN: O que o senhor pode nos dizer sobre o programa Vizinhança Solidária?
Cel. PM Henguel: Forte parceria com a comunidade, onde nossos agentes têm contato direto e pontual com as pessoas que residem na região, dando pronta resposta para a necessidade local.


JSZN: Como o Sr. vê a pandemia de coronavirus no Brasil,em especial na Zona Norte de São Paulo?
Cel. PM Henguel: Foi um grande desafio combater algo desconhecido, mas a Policia Militar com base em experiências de outros países e junto a outros órgãos, conseguiu encarar este triste momento do nosso país, com maturidade passamos por esse período de 2 anos.

Atualmente temos uma estrutura de saúde mais capacitada e equipada, bem como os profissionais de segurança aprenderam a trabalhar com essa nova realidade.


JSZN: Qual a importância das mídias regionais, em especial o Semanário da Zona Norte?
Cel. PM Henguel: As mídias regionais têm extrema importância para a divulgação e solução de problemas dos bairros. Destaco o Semanário da Zona Norte que é um grande parceiro da região que desde 1999 vem trazendo informação para a nossa comunidade, um jornal regional bem conceituado que trabalha de maneira realista e corajosa.


Ten.-cel. PM Paulo Sérgio de Oliveira – Comandante do 2º BPTran


JSZN: Qual a sua formação e como foi seu início e trajetória na Polícia Militar do Estado de São Paulo até chegar ao comando do 2º Batalhão de Polícia de Trânsito?

Ten.-cel. PM Paulo: Tenho formação acadêmica em Ciências Jurídicas (Direito – 2005); Pós-graduado em Direito Militar (2007); Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública (1996); Mestrado em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública (2013); Doutorado em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública (2019). Sou Membro do Fórum Consultivo do Sistema Nacional de Trânsito (Res. Contran 142/03) e do Movimento Paulista de Segurança do Trânsito, desenvolvido pelo Estado de São Paulo, com o objetivo de reduzir o número de mortes decorrentes de ocorrências de trânsito, além de ser conselheiro do CEDATT (Conselho Estadual para a Diminuição dos Acidentes de Trânsito e Transportes) e suplente na Câmara Temática de Esforço Legal do Denatran (CTEL). Participo também de grupos de trabalhos junto à Prefeitura de São Paulo, Detran.sp, CET (Companhia de Engenharia de Trafego), relacionados ao desenvolvimento de trabalhos conjuntos sobre a política de mobilidade urbana, convênios, etc. 

Eu ingressei na Polícia Militar do Estado de São Paulo em 25 de julho de 1988, na graduação de soldado PM, passei no concurso de graduação de cabo PM em 1989, de sargento em 1992 e ao oficialato em 1993, se formando na turma de 1996. Trabalhei no 13º BPM/M, 3º BPTran, Comando de Policiamento da Capital (CPC), 34º BPM/M, Comando de Policiamento de Trânsito (CPTran) e 1º BPTran. Atualmente comando o 2º BPTran. 


JSZN: Qual a área de atuação do 2º Batalhão de Polícia de Trânsito?
Ten.-cel. PM Paulo: O 2º Batalhão de Polícia de Trânsito conforme previsão legal contida no Decreto Estadual de SP nº 65.096, de 28 de julho de 2020, atua nas seguintes localidades:


Artigo 24 - Ao CPTran subordinam-se as seguintes unidades, sediadas na Capital, que atuarão em suas respectivas áreas territoriais, a seguir especificadas:
I - 1° Batalhão de Polícia de Trânsito (1° BPTran): Zonas Centro, Sul, Sudoeste e Oeste da Capital, excetuando-se as Marginais Tietê e Pinheiros;
II - 2° Batalhão de Polícia de Trânsito (2° BPTran): Zonas Norte, Leste e Sudeste da Capital e nas marginais do Tietê e do Pinheiros.


JSZN: Quais as estratégias e ações que o senhor pretende adotar em sua gestão no comando do 2º Batalhão de Polícia de Trânsito?
Ten.-cel. PM Paulo: O Comando de Policiamento de Trânsito (CPTran) instituiu, mensalmente, aliado à Década de Ação pela Segurança no Trânsito 2021-2030, uma Reunião de Análise Crítica de Trânsito (RAC-T), objetivando a apreciação e o estudo do número e das possíveis causas dos óbitos e das vítimas decorrentes dos sinistros de trânsito, além dos indicadores operacionais, inclusive criminais, no âmbito da Capital do Estado de São Paulo, sob circunscrição da PMESP. Como Unidade gestora dos serviços de Policiamento Ostensivo de Trânsito, diante dos estudos técnicos apresentados na RAC-T, o comandante do 2º Batalhão de Polícia de Trânsito se torna o gerente dessa modalidade de atividade, exigindo-se que faça o planejamento de suas missões operacionais de forma inteligente, com base nos dados estatísticos de trânsito e demais índices complementares, inclusive criminais, em conjunto com as demandas de rotina oriundas da Coordenadoria da PMESP, respondendo pelos resultados alcançados dentro da sua área de atuação, principalmente quanto à redução do número de óbitos e de vítimas decorrentes de sinistros de trânsito.
As missões do 2º BPTran representam as transformações desejadas pelo Comando da Corporação, relativo às atribuições de operação e fiscalização de trânsito urbano na Capital e, por atuação complementar, em apoio às ações de polícia ostensiva e de preservação da ordem pública, bem como, supletivamente em operações e atividades educativas, ampliando as ações no campo da segurança viária, fluidez e fiscalização de trânsito, aperfeiçoando as estratégias coordenadas para a redução de óbitos e lesões decorrentes de sinistros de trânsito na Capital paulista, com a finalidade de aumentar a sensação de segurança, a confiabilidade e o reconhecimento da atuação da Polícia Militar por parte da população e o compromisso com a melhoria da qualidade dos serviços prestados à população.


JSZN: Quais as principais atividades operacionais desenvolvidas pelo 2º Batalhão de Polícia de Trânsito? 
Ten.-cel. PM Paulo: Sem prejuízo das ações policiais-militares no curso do policiamento rotineiro do 2º BPTran, adotadas pelos policiais militares, de maneira isolada, principalmente no atendimento de sinistros de trânsito, a execução de medidas preventivas deve, mediante o devido planejamento, ocorrer com ênfase nas seguintes operações policiais-militares, próprias

da atividade de policiamento de trânsito:


Operação Visibilidade de Trânsito


Caracterizada pela adoção de pontos de estacionamento de viaturas do 2ºBPTran, visa prevenir e reprimir atos relacionados com fluidez viária e a segurança pública, como crimes que ocorrem nos cruzamentos de vias e em razão dos congestionamentos, bem como a fiscalização da obediência às normas de trânsito, aumentando a sensação de segurança dos usuários das vias públicas, além de auxiliar na travessia de pedestres e no controle do tempo semafórico, quando necessário.


Operação Direção Segura (ODS), com aplicação do teste passivo do etilômetro

Operação de fiscalização, desenvolvida por meio de bloqueios de trânsito, com vistoria seletiva de veículos, voltada à atividade de fiscalização de trânsito e preservação da ordem pública, com ênfase na possível identificação de condutores suspeitos de dirigir sob a influência de álcool ou substância psicoativa que determine dependência, com uso de equipamento específico de teste de ar alveolar “etilômetro”, bem como outras ações básicas do policiamento ostensivo.


Operação de Fiscalização de motocicletas – “Operação Hércules”
Além da sinistralidade envolvendo esses veículos com alto índice no número de óbitos, que demanda fiscalizar as condições de segurança da motocicleta e do condutor, devido a dinâmica criminal, sobretudo nos delitos de emprego de violência em sua execução (roubos, roubos de veículos, latrocínios, homicídios, homicídios múltiplos, entre outros) observou-se, com alta significância estatística, que motociclistas têm se utilizado de seus veículos para a prática de delitos ou infrações administrativas associadas ao Código de Trânsito Brasileiro, motivo pelo qual esta Operação visa, por meio de operações de fiscalização, do tipo bloqueio (direto e indireto) ou cerco e retirada (“pinçamento”), contribuir com o incremento da sensação de segurança e a consequente redução dos índices criminais, retirando das vias veículos irregulares, utilizando, para tanto, da legislação específica e das técnicas de policiamento de trânsito para o desenvolvimento da citada atividade.


Operação de Fiscalização de Caminhões
Fiscalização em relação à obediência às normas de trânsito relacionadas à circulação de caminhões, com destaque para as Marginais Tietê e Pinheiros, especialmente quanto à carga transportada e à correta identificação dos veículos (coibindo infrações de placas adulteradas ou sem condições de legibilidade e visibilidade).


Operação de Fiscalização de Transporte de Produtos Perigosos
Fiscalização do transporte de produtos perigosos no município de São Paulo, contemplando tanto as atribuições previstas pelo Decreto Federal n° 96.044/88 (Regulamento para o Transporte de Produtos Perigosos), bem como o preceituado na Lei Municipal n° 11.368/93, e em suas normas complementares, podendo ser realizada de forma conjunta, planejada e programada com o órgão executivo de trânsito do município (CET).


Operação Mal Estado de Conservação e Segurança (MECS)
Fiscalização das condições dos veículos que trafegam nas vias públicas em mal estado de conservação e segurança (bem como dos seus condutores), a fim de se verificar o atendimento às regras de trânsito de observância obrigatória, como o devido licenciamento anual, a correta identificação do veículo e a existência e bom funcionamento dos equipamentos de uso obrigatório, a fim de retirar de circulação veículos irregulares, coibindo, também, as ocorrências de trânsito e diminuindo a emissão de poluentes na atmosfera.


Operação de Apoio à OPM territorial
Após avaliação de sua conveniência e oportunidade, pelo comandante do Policiamento de Trânsito, a Operação de Apoio ocorre com a atuação do CPTran em área de OPM territorial, complementarmente à execução das missões daquela, mantendo comando próprio, mas executando as atividades características de sua especialidade, mediante planejamento prévio e conjunto com a respectiva Unidade Policial-Militar.


JSZN: Quais atividades educativas são desenvolvidas pelo 2º Batalhão de Polícia de Trânsito? 
Ten.-cel. PM Paulo: Operação Direção Segura Educativa em bares e restaurantes (ODS-E):
A Operação Direção Segura Educativa (ODS-E) é desenvolvida por meio de ações educativas realizadas por policiais militares dos Batalhões de Trânsito, junto aos frequentadores de bares e restaurantes da Capital de São Paulo, onde são realizados, com o etilômetros, testes “passivo” e/ou “ativo”, além de sanar dúvidas sobre a legislação e trânsito, com ênfase na mudança de comportamento das pessoas que ingerem bebida alcoólica e conduzem seus veículos na via pública, bem como aproximar a Polícia Militar da comunidade, conscientizando os condutores a não conduzir veículos em via pública após a ingestão de bebidas alcoólicas, tornando-se cidadãos multiplicadores e gestores do conhecimento, alusivo ao cumprimento das normas de trânsito, junto às pessoas do seu convívio.


Palestras educativas para motoristas de ônibus, idosos e condutores de motocicletas (operação moto segura):
As palestras aos motoristas de ônibus são desenvolvidas por policiais militares que se deslocam até as garagens de ônibus e discorrem sobre o assunto, com foco nas questões de segurança viária, principalmente quanto às ocorrências de atropelamento.


As palestras para os motociclistas são desenvolvidas por policiais militares que, em conjunto com agentes da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e/ou com o apoio de empresas privadas, executam a abordagem de motociclistas nas principais vias da Cidade de São Paulo, principalmente nas marginais do Tietê e do Pinheiros e Radial Leste, onde se estrutura uma sala de aula, oportunidade em que os condutores são orientados quanto a adoção de medidas de segurança relacionadas à manutenção e condução de sua motocicleta.


As palestras para os idosos são desenvolvidas por policiais militares que executam junto às instituições e órgãos que trabalham com esse público, atividades educativas, em razão do alto índice de mortes de pessoas da melhor idade (atropelamentos) e motociclistas (colisão), a fim de orientá-los quanto ao uso, com segurança, da via.


JSZN: Qual a importância das mídias regionais, em especial o Semanário da Zona Norte?
Ten.-cel. PM Paulo: Além de serem canais de comunicação que permitem uma grande promoção e interação com o público por meio da internet, televisão, mídias faladas e escritas, as mídias sociais, principalmente as regionais, permitem ainda divulgar o propósito e missão da PMESP, realizando a cobertura jornalística, informando aquilo que é mais importante para a população local em relação à segurança pública e, nas questões de trânsito, quanto as medidas a serem adotadas pelos condutores de veículos e pedestres que possam resultar na qualidade da segurança viária, com a redução de óbitos e lesões decorrentes de sinistros (acidente) de trânsito.


O alcance das mídias regionais é de extrema importância, pois já possuem a credibilidade necessária da população local, que normalmente conhece os seus idealizadores, a exemplo do diretor do Semanário da Zona Norte, João Carlos Dias, que, com maestria consegue agregar várias Instituições do Município, do Estado e da União em prol da Zona Norte da cidade de São Paulo desde maio de 1999.


JSZN: Quais os maiores problemas a serem enfrentados relativos aos condutores de veículos e pedestres?
Ten.-cel. PM Paulo: A maior dificuldade envolvendo condutores de veículos e pedestres, seja no campo da fiscalização ou da educação, é convencê-los a praticarem comportamentos seguros durante o uso da via pública, ou seja, que façam o uso das técnicas da direção defensiva, que é o conjunto de medidas e procedimentos utilizados para prevenir ou minimizar as consequências dos sinistros  de trânsito, informações estas que, por intermédio das mídias, tornam-se mais presentes e de conhecimento de todos, pois não podemos aceitar a perda de 721 pessoas que vieram a óbito (Fonte_INFOSIGA), no ano de 2021, decorrentes de sinistros (acidentes) de trânsito, somente na circunscrição da cidade de São Paulo. 


 A violência do trânsito não é problema simples de ser enfrentado, ao contrário, trata-se de questão complexa que exige abordagem científica e multidisciplinar, pois, a exemplo da Suécia, no plano “Visão Zero” que é um conceito de segurança viária, que pode ser resumido na seguinte premissa: nenhuma vida perdida no trânsito é aceitável, correspondendo a proposta que nenhuma morte deve ocorrer no sistema de mobilidade viária, onde todos estão engajados, empresas privadas, instituições e órgãos do Governo, com o mesmo propósito, o qual se tornou o modelo mundial de ação, inclusive com implementação no Brasil.


Dessa forma, ainda carecemos de muito empenho de todos para que futuramente tenhamos nas escolas, principalmente do ensino médio, instrução de trânsito; veículos ainda mais seguros; vias mais seguras que proporcionem que a ocorrência de trânsito não se torne grave, além de penalizar com mais severidade algumas infrações de trânsito que geram risco a segurança viária.


Depoimentos
O evento contou com a presença de várias autoridades e convidados. Todos deixaram uma mensagem de otimismo e satisfação em participar do evento promovido pelo jornal Semanário da Zona Norte.


Para o secretário da Administração Penitenciária de São Paulo, cel. PM Nivaldo César Restivo, “o jornal Semanário da Zona Norte agrega setores da sociedade envolvendo órgãos públicos e a iniciativa privada. É muito importante este tipo de evento, pois, quem ganha é a população da Zona Norte na medida em que esses órgãos trabalham em sinergia. Eu não me canso de elogiar o Joao Carlos pela iniciativa e hoje um motivo muito especial que é receber o novo comandante do 2º BPTran, tenente-coronel PM Paulo Sérgio de Oliveira e o novo comandante do Comando de Policiamento de Área Região Três – Zona Norte (CPA/M-3) cel. PM Henguel Ricardo Pereira. O cel. PM Henguel conheço há mais de 20 anos, já trabalhamos juntos e sei do potencial dele. E sei também do profissionalismo do  tenente-coronel PM Paulo Sérgio. Mais uma vez a Polícia Militar do Estado de São Paulo comtempla a Zona Norte com dois grandes comandantes”. 


Já para o secretário chefe da Casa Militar,  cel. PM  Alexandre Monclus Romanek, “o João Carlos é impar nesses eventos,  trazendo toda a sociedade e autoridades . E para nós que acompanhamos o Semanário da Zona Norte é de suma importância mostrar que a Zona Norte é pujante. Grande abraço para todos.”


Presente no evento, o diretor comercial Ronaldo Martins e gerente de vendas do Grupo São Cristóvão Saúde, Danilo Rodrigues Tunes Neto destacaram a importância do evento para  a instituição. 


 “É uma honra estar presente neste encontro principalmente pelo networking. E o Grupo São Cristóvão Saúde tem uma particularidade muito grande, pois, oferece acesso ao plano de saúde. Dentro desta característica chega a ser o nosso DNA e com a qualidade no atendimento ímpar que nós podemos chamar de classe A. Originária da Zona Leste, a entidade agora possui uma unidade aqui na Zona Norte”, afirmou Ronaldo. 


“O evento do Semanário da Zona Norte é importante por promover essa proximidade com a comunidade. Ele faz com que consigamos transmitir isso aos nossos parceiros e também para que eles conheçam o trabalho que o Grupo desempenha e desenvolve em toda comunidade”.

Comentários:

+ Lidas

Nossas notícias no celular

Receba as notícias do Semanário ZN no seu app favorito de mensagens.

Telegram
Whatsapp
Entrar
Anunciante 039

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!