SEMANÁRIO ZONA NORTE - JORNAL DE MAIOR CIRCULAÇÃO NA ZONA NORTE

Dia Internacional da Mulher

A importância da mulher no mercado de trabalho

O 8 de março celebra o Dia Internacional da Mulher e remete às lutas femininas por mais direitos e condições de vida e trabalho. Ao longo da história, a sociedade brasileira passou por inúmeras transformações, e no decorrer dos anos as mulheres foram se destacando e ocupando espaços relevantes na comunidade.

A entrada no mercado de trabalho foi uma das principais conquistas, se antes elas eram figuras presentes em casa, cuidando exclusivamente de seus maridos e crianças, agora  as mulheres ocupam diversas responsabilidades, mãe, esposa, dona de casa, empreendedora, entre outras atividades. A classificação de que elas são “sexo frágil” já não combina mais com as mulheres contemporâneas.  Cada vez mais, elas assumem cargos de liderança no mercado de trabalho.

Atualmente elas têm maior aceitação e ocupam as mais variadas funções, inclusive em profissões tipicamente masculinas. São inúmeras as profissões e elas estão sempre atentas ao mercado e às tendências do setor no qual trabalham. É exatamente neste ponto que as mulheres se destacam, ao enxergarem o trabalho com mais atenção, disciplina, sensibilidade e determinação. Além disso, acostumadas a fazer inúmeras tarefas ao mesmo tempo, as mulheres sabem administrar prazos, conseguem se organizar e planejar cada passo a ser dado.

No entanto, as diferenças ainda insistem em pairar em uma sociedade que estabelece desigualdades de gênero em relação ao salário. O Brasil é um dos países com uma das maiores disparidades salariais no mundo. As mulheres ganham em média 32% a menos que os homens com a mesma idade e nível de instrução.

E se hoje, o Dia Internacional da Mulher é lembrado  como um pedido de igualdade de gênero e com protestos ao redor do mundo, no passado nasceu principalmente de uma raiz trabalhista.

Foram as mulheres das fábricas nos Estados Unidos e em alguns países da Europa que começaram uma campanha dentro do movimento socialista para reivindicar seus direitos - as condições de trabalho delas eram ainda piores do que as dos homens à época.

Como forma de reivindicar melhores condições de trabalho e igualdade de salários entre mulheres e homens, em 8 de março de 1857 operárias de uma fábrica têxtil nova-iorquina entraram em greve . Na ocasião, elas acabaram trancadas no local e, durante um incêndio, 130 morreram. A tragédia fez com que, em 1975, a Organização das Nações Unidas (ONU) declarasse a data como o Dia Internacional da Mulher.

Mais de 160 anos separam a data de hoje do dia em que as 130 operárias morreram, mas a luta das mulheres continuam  para obter o mesmo reconhecimento que os homens .

Neste Dia Internacional da Mulher, o jornal Semanário da Zona Norte presta uma especial homenagem a todas as mulheres.

  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Dia Internacional da Mulher

O 8 de março celebra o Dia Internacional da Mulher e remete às lutas femininas por mais direitos e condições de vida e trabalho. Ao longo da história, a sociedade brasileira passou por inúmeras transformações, e no decorrer dos anos as mulheres foram se destacando e ocupando espaços relevantes na comunidade.

A entrada no mercado de trabalho foi uma das principais conquistas, se antes elas eram figuras presentes em casa, cuidando exclusivamente de seus maridos e crianças, agora  as mulheres ocupam diversas responsabilidades, mãe, esposa, dona de casa, empreendedora, entre outras atividades. A classificação de que elas são “sexo frágil” já não combina mais com as mulheres contemporâneas.  Cada vez mais, elas assumem cargos de liderança no mercado de trabalho.

Atualmente elas têm maior aceitação e ocupam as mais variadas funções, inclusive em profissões tipicamente masculinas. São inúmeras as profissões e elas estão sempre atentas ao mercado e às tendências do setor no qual trabalham. É exatamente neste ponto que as mulheres se destacam, ao enxergarem o trabalho com mais atenção, disciplina, sensibilidade e determinação. Além disso, acostumadas a fazer inúmeras tarefas ao mesmo tempo, as mulheres sabem administrar prazos, conseguem se organizar e planejar cada passo a ser dado.

No entanto, as diferenças ainda insistem em pairar em uma sociedade que estabelece desigualdades de gênero em relação ao salário. O Brasil é um dos países com uma das maiores disparidades salariais no mundo. As mulheres ganham em média 32% a menos que os homens com a mesma idade e nível de instrução.

E se hoje, o Dia Internacional da Mulher é lembrado  como um pedido de igualdade de gênero e com protestos ao redor do mundo, no passado nasceu principalmente de uma raiz trabalhista.

Foram as mulheres das fábricas nos Estados Unidos e em alguns países da Europa que começaram uma campanha dentro do movimento socialista para reivindicar seus direitos - as condições de trabalho delas eram ainda piores do que as dos homens à época.

Como forma de reivindicar melhores condições de trabalho e igualdade de salários entre mulheres e homens, em 8 de março de 1857 operárias de uma fábrica têxtil nova-iorquina entraram em greve . Na ocasião, elas acabaram trancadas no local e, durante um incêndio, 130 morreram. A tragédia fez com que, em 1975, a Organização das Nações Unidas (ONU) declarasse a data como o Dia Internacional da Mulher.

Mais de 160 anos separam a data de hoje do dia em que as 130 operárias morreram, mas a luta das mulheres continuam  para obter o mesmo reconhecimento que os homens .

Neste Dia Internacional da Mulher, o jornal Semanário da Zona Norte presta uma especial homenagem a todas as mulheres.

Publicidade