SEMANÁRIO ZONA NORTE - JORNAL DE MAIOR CIRCULAÇÃO NA ZONA NORTE

Associação Comercial de São Paulo lança movimento ‘Renova ACSP

30 de Outubro, no auditório do Clube Esperia

O evento reuniu na terça-feira, dia 30 de outubro, no auditório do Clube Esperia, conselheiros e parte da vice-presidência da entidade. Na ocasião, o candidato à presidência da entidade biênio 2019/2021, José Maria Chapina Alcazar apresentou suas propostas e destacou a importância da reestruturação da instituição que atualmente passa por dificuldades financeiras.  Os conselheiros e vice-presidentes também explanaram suas ideias, tais como renovação, ética, respeito e transparência.

Confira alguns depoimentos

Eloy Gonçalves de Oliveira, vice-presidente da Associação Comercial de São Paulo, disse que a entidade precisa de uma renovação e uma equalização entre receita e despesa.

“Nós achamos que a Associação Comercial de São Paulo precisaria de uma renovação. Ao longo dos anos a instituição perdeu o protagonismo e não está mais atuante na defesa do empreendedor. Infelizmente, os empreendedores ficam em segundo plano.  O movimento ‘Renova ACSP’ possui vários objetivos entre eles fazer um saneamento da parte financeira da Associação e uma equalização entre receita e despesa, além de fazer  uma aproximação com os empreendedores, revitalizando distritais para que elas fiquem bastante atuantes junto aos comerciantes e empresários”.

Eloy também destacou a importância da Associação Comercial de São Paulo para a população e seus associados. “A história da entidade é brilhante para toda a população e para os empresários. Inclusive a Associação Comercial de São Paulo tem uma história e uma participação ativa  com a Revolução de 32. Na época, esposas dos associados confeccionavam os uniformes para os combatentes. Enfim, a Associação Comercial tem um protagonismo espetacular e mesmo na questão tributária a entidade teve participações significativas.

Hoje, o empresário é sufocado com uma série de compromissos e emaranhado de necessidades fiscais e tributárias que sufoca o pequeno empresário, essa burocracia deve ser atacada de frente.”

O vice-presidente falou sobre o período da economia que o Brasil atravessa e também das perspectivas da entidade para 2019.  “Eu acredito que nos primeiros meses do ano a situação permanecerá no mesmo ritmo, mudou o governo, mas os fatos estruturais da economia não se alteraram, ou seja, o déficit fiscal continuará igual. O Governo precisará atuar nas reformas para poder melhorar, acredito que apenas no segundo semestre vai surtir algum efeito. No meu ponto de vista o dólar continuará ao redor dos R$ 3,70, a inflação dentro da meta e nada mais. O simples fato de não haver altos e baixos na economia já é uma regularidade, dando um certo conforto para o comerciante”.

Eloy Gonçalves ainda deixou uma mensagem de otimismo para os empresários que estão investindo e expandindo seus negócios. “Eu acho que o empresário deve acreditar no Brasil e expandir com segurança naquilo que ele domina e conhece, nada de fazer aventuras”. 

Para  David Fernandes, diretor-pleno e membro da Comissão Fiscal da Associação Comercial de São Paulo,  o ‘Renova ACSP’ busca a renovação e a mudança dentro da entidade.

“O primeiro motivo é o não cumprimento de algumas metas que nós havíamos colocado nesses últimos anos na Associação Comercial de São Paulo. Em 2010, fizemos a venda do SPC e demos cinco anos para que a casa fosse reorganizada. Essa reorganização não aconteceu, estamos entrando no oitavo ano, e dentro desta visão de modernizar e buscar novos formatos e ter uma casa de empresários atualizada, está nos trazendo este grande desafio de buscar essa mudança”.

David ressaltou as novas ações que serão implantadas dentro da instituição e das perspectivas para o ano de 2019. “Temos diversas medidas que estão sendo apresentadas, mas algumas delas muito importantes, como aumentar e fomentar de uma maneira mais direta o pequeno empresário de São Paulo. Atualmente,  vivemos numa cidade com 11 milhões de habitantes  e com quase 2,5 milhões de pequenas empresas estabelecidas na nossa cidade.  Nesses últimos anos, a instituição sofreu  um esvaziamento por falta de novos serviços e vantagens para o associado. É isso que queremos resgatar para que tenhamos um acolhimento maior dos empresários dentro da nossa cidade e que a nossa representatividade empresarial seja de fato feita na cidade de São Paulo.”

De acordo com David Fernandes, o novo governa trará um alívio para os empresários, em especial na questão tributária.

“Nós temos diversos temas que são importantes para o empresário e diminuir a carga tributária é uma solicitação do Brasil. Acredito que com o novo governo teremos um alívio.  Por isso, destaco a importância da união entre os empresários para que dentro desta vontade do governo de haver diminuição da carga tributária possamos buscar os melhores resultados, seja no âmbito municipal, estadual ou federal. Acreditamos na modernidade e temos projetos interessantes como parcerias com o Estado e para o empresariado. A capital paulista é a maior cidade da América Latina e sabemos do papel importante que nós temos dentro desse conceito brasileiro e internacional. Eu acho que chegou o momento dessa renovação, buscando o equilíbrio dentro da Associação Comercial de São Paulo, onde possamos realmente ter uma representação política e não partidária que nesses últimos anos tem dominado a nossa instituição. A população de uma forma geral está bastante otimista com o novo governo, é uma novidade e estamos apostando no presidente eleito Jair Bolsonaro. Ele tem uma importante visão para o crescimento do país. Sabemos que o Brasil deve diminuir seu custo para seguir na concorrência internacional e os nossos produtos chegarem  aos outros países com preços competitivos, principalmente em relação à China. Acho que a vontade é primordial e a credibilidade que este governo, ainda sem ter tomado posse, está criando, gera grande expectativa na população. E dentro desta vontade estamos trazendo aos associados da entidade a opção de uma gestão mais profissional e voltada para o empreendedor. Isso é uma grande preocupação nossa que a gente almeja alcançar”.

O diretor também disse que os novos empreendedores  devem buscar informação e experiência.  “Eu sempre falo para os novos empreendedores que estão entrando no mercado para que eles busquem muita informação e experiência. A Associação Comercial é um grande network, onde encontramos empresários de diversas áreas e que podemos encontrar também informação e conhecimento entre nós. Isso é muito importante porque nos ajuda a pautar as decisões que temos que tomar, um dos fatores que queremos,  cada vez mais fomentar entre os empreendedores da cidade de São Paulo”.

Para ele, a entidade que possui 123 anos de fundação executa papel importante dentro da sociedade. “Temos muito orgulho da nossa instituição, passamos por diversos momentos brasileiros. Tenho enorme prazer de participar da Associação Comercial porque tenho desde a década de 1920 familiares diretos participando da entidade. Então, há muito anos a minha família convive dentro da instituição. Para mim é uma grande responsabilidade manter a memória desses familiares em prol do empreendedor na cidade de São Paulo. Peço aos empresários para que possam nos ajudar com novas ideias e fomentar o empreendedor a pensar no futuro”. 

Francisco Giannoccaro, vice-presidente da Associação Comercial de São Paulo, destacou o papel do movimento ‘Renova ACSP’.

“ Há 30 anos que não há oposição, mas nós não nos consideramos  opositores  porque fazemos parte da própria diretoria executiva da entidade. Observamos que estamos perdendo espaço em todos os sentidos junto aos empreendedores, meios de comunicação e os associados estão praticamente abandonados. A instituição contava com 40 mil associados e hoje contamos com apenas 4 mil. Tudo isso  nos levou a uma renovação dos quadros dentro da Associação Comercial. Nosso objetivo é fomentar novas ideias e trazer gente nova à entidade. Infelizmente, estamos inertes vendo o tempo passar”.

Giannoccaro disse das novas ações que deverão ser implantadas na entidade. “Nós elaboramos um programa de 10 medidas tais como quadro associativo, comunicação, e acima de tudo transparência. Nosso objetivo é contar com uma gestão moderna e eficaz para podermos alcançar os anseios dos nossos associados.  Nós pretendemos estar juntos às autoridades e agir politicamente, mas não partidária, para acabar com o massacre que hoje sofre o pequeno, médio e grande  empresário” .

O vice-presidente falou ainda da expectativa do próximo governo.  “ Vamos ter um novo   presidente, é uma incógnita, mas uma coisa é certa, o país vai mudar. Temos que ajudar para que o Brasil siga novos rumos, se solidificar e trazer a paz para a família brasileira, pois hoje estamos sobrecarregados de más notícias e situações que não são compatíveis”.

Francisco Giannoccaro disse ainda como incentivar o pequeno empreendedor  a abrir e expandir seu próprio negócio.  “Temos que oferecer melhores condições para que eles desenvolvam  seus negócios. Hoje temos uma série de fatores que impossibilitam agir livremente, e a carga tributária alta estimula a sonegação.  Temos que lutar para baixar os impostos e dar facilidade para o empresário trabalhar. Com isso, ele gerará mais emprego e trará novas ideias e principalmente recuperar a família.  Devemos resgatar o otimismo e a coragem do empreendedor”. 

José Maria Chapina Alcazar, candidato à presidência da entidade biênio 2019/2021, disse como surgiu o movimento ‘Renova ACSP’. “A iniciativa surgiu através de um grupo preocupado com a Associação Comercial de São Paulo. Como o presidente Alencar Burti está encerrando sua gestão dentro da entidade, eu fui indicado para liderar a chapa e buscar a presidência da instituição no biênio 2019/2021. Isso acontece porque a  Associação Comercial necessita de uma oxigenação e uma renovação. Por isso o título ‘Renova ACSP’. Precisamos dar nossa injeção de ânimo e trazer o jovem para a diretoria e a mulher para a diretoria executiva, e ainda implementar uma transparência 360 graus porque os associados que são muito próximos à entidade não conhecem a sua realidade. Falta chegar serviços de ponta para o associado e também transparência, pois não temos conhecimento efetivamente com a situação econômica da instituição. A Associação Comercial pede mudanças da mesma forma que o Brasil. A entidade necessita buscar inovação e independência com uma representação efetiva política, porém, não partidária. Há muitos anos a instituição vem sendo partidária, o que vem tirando dela autonomia de representação perante a sociedade como um todo”.

Alcazar destacou as novas ações que serão implantadas com a nova gestão. “ Buscamos liberdade, transparência, valorização das distritais para que elas tenham efetivamente condições econômicas e independência dentro da sua região e voltar  a resgatar a  liderança política que a Associação ao longo desses 123 anos sempre teve, ou seja, líder de seus movimentos. Além disso, de outras reformas administrativas e o equilíbrio orçamentário da entidade, para que a receita suporte seus gastos fixos, pois atualmente a instituição está com despesas superiores às suas receitas”.

O candidato falou que a entidade continuará lutando pela diminuição da carga tributária.  “Graças a Deus presidi o Sescon durante dois mandatos, demos inicio ao movimento  da medida provisória  232, a reforma da CPMF e contra o excesso de burocracia e a alta carga tributária.  A nossa diretoria terá a legitimidade de falar uma  linguagem que defenda os interesses dos associados. O nosso objetivo é buscar a simplificação e a redução da carga tributária e trazer o Brasil para uma competição mundial, pois hoje o país perde para a concorrência internacional”.

José Maria Chapina Alcazar fez  ainda um breve balanço de seus mandatos frente ao Sescon. “Hoje 80% do público associado da Associação Comercial é de serviços. Faço um pedido a Deus, que Ele me dê a mesma energia que eu tive quando presidente do Sescon para que possamos fazer alianças com outras entidades representativas do setor de empreendedorismo. Quando presidi a entidade consegui unir todas as instituições voltadas ao empreendedorismo em prol de uma única causa, a redução e simplificação da carga tributária”. 

Chapina falou das perspectivas para o ano de 2019. “A eleição de domingo, dia 28 de outubro, foi o resgate da esperança e acreditar que o Brasil poderá ter futuro nas mãos  de gente séria e que quer fazer política e de dar de si sem pensar em si como diz o lema rotário . Temos uma política que precisa ser reformulada, que é dando que se recebe, isso não faz parte do nosso lema. Queremos fazer democracia e lutar por uma política transparente”.

Enfim, Chapina deixou uma mensagem de otimismo ao pequeno empreendedor.

“Digo  que em 2019, o empreendedor terá na Associação Comercial  um legítimo  representante em prol dos interesses do comerciante e do prestador de serviços. Acredite no Brasil e não pense em sair do país”. 

Para Michel Rocha, membro do Conselho Deliberativo da Associação Comercial de São Paulo, a entidade sofre com a falta de oxigenação, o que  impede seu crescimento. “ Uma entidade sem renovação tende a ser um aparelhamento perdendo o foco de empreendedorismo. Com isso, houve uma queda no número de associados e um gasto elevado. Então, a entidade deixou de ser inovadora e representar o associado. Com o ‘Renova ACSP’ buscamos trazer de volta o associado e a renovação de ideias. Todos são associativistas, porém tem que haver uma vantagem e uma motivação para isso acontecer.   O principal objetivo é resgatar os valores que infelizmente foram perdidos ao longo dos anos, além de buscar por produtos inovadores e importantes para os comerciantes. A entidade passou por um aparelhamento e um viés político prejudicial à administração e  parou de defender o empresário. A entidade deve focar no bem estar do associado, o empresário tem que fomentar  negócios e fazer dinheiro. O ‘Renova ACSP’ vem com uma nova motivação e novos associados, que hoje estão afastados da instituição, as distritais perderam força”.         

Já para Fábio Mourão Antonio, conselheiro da Distrital Nordeste da Associação Comercial de São Paulo, as entidades precisam passar por renovações. “O movimento ‘Renova ACSP’ é liderado por empresários que há tempos participam da entidade, em especial José Maria Chapina Alcazar. Eu abracei a ideia e encampei essa campanha pois todas as entidades devem passar por renovações. Não sabemos qual lado fala a verdade, talvez nem  as urnas falem a verdade. É importante que seja respeitado o resultado, o momento oportuno da eleição.

De acordo com Mourão, há perspectivas de crescimento para o Brasil. “O empresariado brasileiro estava muito acanhado até agora, há perspectivas de crescimento e cumprimento estabelecido com o país e relacionamento de outros países. O Brasil precisa trazer segurança para que os empresários possam investir, ninguém investirá num local que não tenha segurança e retorno financeiro. E evidentemente que com esse trabalho da Associação Comercial haverá um crescimento do país”.

Ele disse ainda que a principal bandeira da entidade é lutar pela diminuição da carga tributária.

“Realmente a carga tributária no Brasil é muito alta e que infelizmente vem causando o fechamento de muitas empresas. Recentemente, tivemos uma reformulação na Justiça do Trabalho que de certa forma melhorou, é uma forma do empresariado ver com bons olhos  novas contratações. Espero que tenhamos uma Reforma Tributária, que com certeza será uma condição muito importante para o Brasil”.

O jornal Semanário da Zona Norte também  selou apoio ao movimento ‘Renova ACSP’. Para o diretor João Carlos Dias, é lamentável a atual situação da Associação Comercial de São Paulo. “É triste saber que existe cartas marcadas quando se leva três nomes para a superintendência. É uma disputa desonesta e desleal. É lamentável que o presidente desta entidade não defenda a redução de impostos. Quero ressaltar o nosso apoio ao José Maria Chapina Alcazar, pois conheço e acompanhei seu trabalho à frente da Sescon. Nós precisamos de gente que queira arregaçar as mangas e ser realmente um gestor. Nada mais justo do que ter um homem deste naipe defendendo a instituição junto com essa equipe, como o George Ayoub, David Fernandes, entre outros . Realmente são pessoas profissionais  e empreendedoras. Parabéns a todos e contem com nosso apoio”.

 

 

 

  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Associação Comercial de São Paulo lança movimento ‘Renova ACSP

O evento reuniu na terça-feira, dia 30 de outubro, no auditório do Clube Esperia, conselheiros e parte da vice-presidência da entidade. Na ocasião, o candidato à presidência da entidade biênio 2019/2021, José Maria Chapina Alcazar apresentou suas propostas e destacou a importância da reestruturação da instituição que atualmente passa por dificuldades financeiras.  Os conselheiros e vice-presidentes também explanaram suas ideias, tais como renovação, ética, respeito e transparência.

Confira alguns depoimentos

Eloy Gonçalves de Oliveira, vice-presidente da Associação Comercial de São Paulo, disse que a entidade precisa de uma renovação e uma equalização entre receita e despesa.

“Nós achamos que a Associação Comercial de São Paulo precisaria de uma renovação. Ao longo dos anos a instituição perdeu o protagonismo e não está mais atuante na defesa do empreendedor. Infelizmente, os empreendedores ficam em segundo plano.  O movimento ‘Renova ACSP’ possui vários objetivos entre eles fazer um saneamento da parte financeira da Associação e uma equalização entre receita e despesa, além de fazer  uma aproximação com os empreendedores, revitalizando distritais para que elas fiquem bastante atuantes junto aos comerciantes e empresários”.

Eloy também destacou a importância da Associação Comercial de São Paulo para a população e seus associados. “A história da entidade é brilhante para toda a população e para os empresários. Inclusive a Associação Comercial de São Paulo tem uma história e uma participação ativa  com a Revolução de 32. Na época, esposas dos associados confeccionavam os uniformes para os combatentes. Enfim, a Associação Comercial tem um protagonismo espetacular e mesmo na questão tributária a entidade teve participações significativas.

Hoje, o empresário é sufocado com uma série de compromissos e emaranhado de necessidades fiscais e tributárias que sufoca o pequeno empresário, essa burocracia deve ser atacada de frente.”

O vice-presidente falou sobre o período da economia que o Brasil atravessa e também das perspectivas da entidade para 2019.  “Eu acredito que nos primeiros meses do ano a situação permanecerá no mesmo ritmo, mudou o governo, mas os fatos estruturais da economia não se alteraram, ou seja, o déficit fiscal continuará igual. O Governo precisará atuar nas reformas para poder melhorar, acredito que apenas no segundo semestre vai surtir algum efeito. No meu ponto de vista o dólar continuará ao redor dos R$ 3,70, a inflação dentro da meta e nada mais. O simples fato de não haver altos e baixos na economia já é uma regularidade, dando um certo conforto para o comerciante”.

Eloy Gonçalves ainda deixou uma mensagem de otimismo para os empresários que estão investindo e expandindo seus negócios. “Eu acho que o empresário deve acreditar no Brasil e expandir com segurança naquilo que ele domina e conhece, nada de fazer aventuras”. 

Para  David Fernandes, diretor-pleno e membro da Comissão Fiscal da Associação Comercial de São Paulo,  o ‘Renova ACSP’ busca a renovação e a mudança dentro da entidade.

“O primeiro motivo é o não cumprimento de algumas metas que nós havíamos colocado nesses últimos anos na Associação Comercial de São Paulo. Em 2010, fizemos a venda do SPC e demos cinco anos para que a casa fosse reorganizada. Essa reorganização não aconteceu, estamos entrando no oitavo ano, e dentro desta visão de modernizar e buscar novos formatos e ter uma casa de empresários atualizada, está nos trazendo este grande desafio de buscar essa mudança”.

David ressaltou as novas ações que serão implantadas dentro da instituição e das perspectivas para o ano de 2019. “Temos diversas medidas que estão sendo apresentadas, mas algumas delas muito importantes, como aumentar e fomentar de uma maneira mais direta o pequeno empresário de São Paulo. Atualmente,  vivemos numa cidade com 11 milhões de habitantes  e com quase 2,5 milhões de pequenas empresas estabelecidas na nossa cidade.  Nesses últimos anos, a instituição sofreu  um esvaziamento por falta de novos serviços e vantagens para o associado. É isso que queremos resgatar para que tenhamos um acolhimento maior dos empresários dentro da nossa cidade e que a nossa representatividade empresarial seja de fato feita na cidade de São Paulo.”

De acordo com David Fernandes, o novo governa trará um alívio para os empresários, em especial na questão tributária.

“Nós temos diversos temas que são importantes para o empresário e diminuir a carga tributária é uma solicitação do Brasil. Acredito que com o novo governo teremos um alívio.  Por isso, destaco a importância da união entre os empresários para que dentro desta vontade do governo de haver diminuição da carga tributária possamos buscar os melhores resultados, seja no âmbito municipal, estadual ou federal. Acreditamos na modernidade e temos projetos interessantes como parcerias com o Estado e para o empresariado. A capital paulista é a maior cidade da América Latina e sabemos do papel importante que nós temos dentro desse conceito brasileiro e internacional. Eu acho que chegou o momento dessa renovação, buscando o equilíbrio dentro da Associação Comercial de São Paulo, onde possamos realmente ter uma representação política e não partidária que nesses últimos anos tem dominado a nossa instituição. A população de uma forma geral está bastante otimista com o novo governo, é uma novidade e estamos apostando no presidente eleito Jair Bolsonaro. Ele tem uma importante visão para o crescimento do país. Sabemos que o Brasil deve diminuir seu custo para seguir na concorrência internacional e os nossos produtos chegarem  aos outros países com preços competitivos, principalmente em relação à China. Acho que a vontade é primordial e a credibilidade que este governo, ainda sem ter tomado posse, está criando, gera grande expectativa na população. E dentro desta vontade estamos trazendo aos associados da entidade a opção de uma gestão mais profissional e voltada para o empreendedor. Isso é uma grande preocupação nossa que a gente almeja alcançar”.

O diretor também disse que os novos empreendedores  devem buscar informação e experiência.  “Eu sempre falo para os novos empreendedores que estão entrando no mercado para que eles busquem muita informação e experiência. A Associação Comercial é um grande network, onde encontramos empresários de diversas áreas e que podemos encontrar também informação e conhecimento entre nós. Isso é muito importante porque nos ajuda a pautar as decisões que temos que tomar, um dos fatores que queremos,  cada vez mais fomentar entre os empreendedores da cidade de São Paulo”.

Para ele, a entidade que possui 123 anos de fundação executa papel importante dentro da sociedade. “Temos muito orgulho da nossa instituição, passamos por diversos momentos brasileiros. Tenho enorme prazer de participar da Associação Comercial porque tenho desde a década de 1920 familiares diretos participando da entidade. Então, há muito anos a minha família convive dentro da instituição. Para mim é uma grande responsabilidade manter a memória desses familiares em prol do empreendedor na cidade de São Paulo. Peço aos empresários para que possam nos ajudar com novas ideias e fomentar o empreendedor a pensar no futuro”. 

Francisco Giannoccaro, vice-presidente da Associação Comercial de São Paulo, destacou o papel do movimento ‘Renova ACSP’.

“ Há 30 anos que não há oposição, mas nós não nos consideramos  opositores  porque fazemos parte da própria diretoria executiva da entidade. Observamos que estamos perdendo espaço em todos os sentidos junto aos empreendedores, meios de comunicação e os associados estão praticamente abandonados. A instituição contava com 40 mil associados e hoje contamos com apenas 4 mil. Tudo isso  nos levou a uma renovação dos quadros dentro da Associação Comercial. Nosso objetivo é fomentar novas ideias e trazer gente nova à entidade. Infelizmente, estamos inertes vendo o tempo passar”.

Giannoccaro disse das novas ações que deverão ser implantadas na entidade. “Nós elaboramos um programa de 10 medidas tais como quadro associativo, comunicação, e acima de tudo transparência. Nosso objetivo é contar com uma gestão moderna e eficaz para podermos alcançar os anseios dos nossos associados.  Nós pretendemos estar juntos às autoridades e agir politicamente, mas não partidária, para acabar com o massacre que hoje sofre o pequeno, médio e grande  empresário” .

O vice-presidente falou ainda da expectativa do próximo governo.  “ Vamos ter um novo   presidente, é uma incógnita, mas uma coisa é certa, o país vai mudar. Temos que ajudar para que o Brasil siga novos rumos, se solidificar e trazer a paz para a família brasileira, pois hoje estamos sobrecarregados de más notícias e situações que não são compatíveis”.

Francisco Giannoccaro disse ainda como incentivar o pequeno empreendedor  a abrir e expandir seu próprio negócio.  “Temos que oferecer melhores condições para que eles desenvolvam  seus negócios. Hoje temos uma série de fatores que impossibilitam agir livremente, e a carga tributária alta estimula a sonegação.  Temos que lutar para baixar os impostos e dar facilidade para o empresário trabalhar. Com isso, ele gerará mais emprego e trará novas ideias e principalmente recuperar a família.  Devemos resgatar o otimismo e a coragem do empreendedor”. 

José Maria Chapina Alcazar, candidato à presidência da entidade biênio 2019/2021, disse como surgiu o movimento ‘Renova ACSP’. “A iniciativa surgiu através de um grupo preocupado com a Associação Comercial de São Paulo. Como o presidente Alencar Burti está encerrando sua gestão dentro da entidade, eu fui indicado para liderar a chapa e buscar a presidência da instituição no biênio 2019/2021. Isso acontece porque a  Associação Comercial necessita de uma oxigenação e uma renovação. Por isso o título ‘Renova ACSP’. Precisamos dar nossa injeção de ânimo e trazer o jovem para a diretoria e a mulher para a diretoria executiva, e ainda implementar uma transparência 360 graus porque os associados que são muito próximos à entidade não conhecem a sua realidade. Falta chegar serviços de ponta para o associado e também transparência, pois não temos conhecimento efetivamente com a situação econômica da instituição. A Associação Comercial pede mudanças da mesma forma que o Brasil. A entidade necessita buscar inovação e independência com uma representação efetiva política, porém, não partidária. Há muitos anos a instituição vem sendo partidária, o que vem tirando dela autonomia de representação perante a sociedade como um todo”.

Alcazar destacou as novas ações que serão implantadas com a nova gestão. “ Buscamos liberdade, transparência, valorização das distritais para que elas tenham efetivamente condições econômicas e independência dentro da sua região e voltar  a resgatar a  liderança política que a Associação ao longo desses 123 anos sempre teve, ou seja, líder de seus movimentos. Além disso, de outras reformas administrativas e o equilíbrio orçamentário da entidade, para que a receita suporte seus gastos fixos, pois atualmente a instituição está com despesas superiores às suas receitas”.

O candidato falou que a entidade continuará lutando pela diminuição da carga tributária.  “Graças a Deus presidi o Sescon durante dois mandatos, demos inicio ao movimento  da medida provisória  232, a reforma da CPMF e contra o excesso de burocracia e a alta carga tributária.  A nossa diretoria terá a legitimidade de falar uma  linguagem que defenda os interesses dos associados. O nosso objetivo é buscar a simplificação e a redução da carga tributária e trazer o Brasil para uma competição mundial, pois hoje o país perde para a concorrência internacional”.

José Maria Chapina Alcazar fez  ainda um breve balanço de seus mandatos frente ao Sescon. “Hoje 80% do público associado da Associação Comercial é de serviços. Faço um pedido a Deus, que Ele me dê a mesma energia que eu tive quando presidente do Sescon para que possamos fazer alianças com outras entidades representativas do setor de empreendedorismo. Quando presidi a entidade consegui unir todas as instituições voltadas ao empreendedorismo em prol de uma única causa, a redução e simplificação da carga tributária”. 

Chapina falou das perspectivas para o ano de 2019. “A eleição de domingo, dia 28 de outubro, foi o resgate da esperança e acreditar que o Brasil poderá ter futuro nas mãos  de gente séria e que quer fazer política e de dar de si sem pensar em si como diz o lema rotário . Temos uma política que precisa ser reformulada, que é dando que se recebe, isso não faz parte do nosso lema. Queremos fazer democracia e lutar por uma política transparente”.

Enfim, Chapina deixou uma mensagem de otimismo ao pequeno empreendedor.

“Digo  que em 2019, o empreendedor terá na Associação Comercial  um legítimo  representante em prol dos interesses do comerciante e do prestador de serviços. Acredite no Brasil e não pense em sair do país”. 

Para Michel Rocha, membro do Conselho Deliberativo da Associação Comercial de São Paulo, a entidade sofre com a falta de oxigenação, o que  impede seu crescimento. “ Uma entidade sem renovação tende a ser um aparelhamento perdendo o foco de empreendedorismo. Com isso, houve uma queda no número de associados e um gasto elevado. Então, a entidade deixou de ser inovadora e representar o associado. Com o ‘Renova ACSP’ buscamos trazer de volta o associado e a renovação de ideias. Todos são associativistas, porém tem que haver uma vantagem e uma motivação para isso acontecer.   O principal objetivo é resgatar os valores que infelizmente foram perdidos ao longo dos anos, além de buscar por produtos inovadores e importantes para os comerciantes. A entidade passou por um aparelhamento e um viés político prejudicial à administração e  parou de defender o empresário. A entidade deve focar no bem estar do associado, o empresário tem que fomentar  negócios e fazer dinheiro. O ‘Renova ACSP’ vem com uma nova motivação e novos associados, que hoje estão afastados da instituição, as distritais perderam força”.         

Já para Fábio Mourão Antonio, conselheiro da Distrital Nordeste da Associação Comercial de São Paulo, as entidades precisam passar por renovações. “O movimento ‘Renova ACSP’ é liderado por empresários que há tempos participam da entidade, em especial José Maria Chapina Alcazar. Eu abracei a ideia e encampei essa campanha pois todas as entidades devem passar por renovações. Não sabemos qual lado fala a verdade, talvez nem  as urnas falem a verdade. É importante que seja respeitado o resultado, o momento oportuno da eleição.

De acordo com Mourão, há perspectivas de crescimento para o Brasil. “O empresariado brasileiro estava muito acanhado até agora, há perspectivas de crescimento e cumprimento estabelecido com o país e relacionamento de outros países. O Brasil precisa trazer segurança para que os empresários possam investir, ninguém investirá num local que não tenha segurança e retorno financeiro. E evidentemente que com esse trabalho da Associação Comercial haverá um crescimento do país”.

Ele disse ainda que a principal bandeira da entidade é lutar pela diminuição da carga tributária.

“Realmente a carga tributária no Brasil é muito alta e que infelizmente vem causando o fechamento de muitas empresas. Recentemente, tivemos uma reformulação na Justiça do Trabalho que de certa forma melhorou, é uma forma do empresariado ver com bons olhos  novas contratações. Espero que tenhamos uma Reforma Tributária, que com certeza será uma condição muito importante para o Brasil”.

O jornal Semanário da Zona Norte também  selou apoio ao movimento ‘Renova ACSP’. Para o diretor João Carlos Dias, é lamentável a atual situação da Associação Comercial de São Paulo. “É triste saber que existe cartas marcadas quando se leva três nomes para a superintendência. É uma disputa desonesta e desleal. É lamentável que o presidente desta entidade não defenda a redução de impostos. Quero ressaltar o nosso apoio ao José Maria Chapina Alcazar, pois conheço e acompanhei seu trabalho à frente da Sescon. Nós precisamos de gente que queira arregaçar as mangas e ser realmente um gestor. Nada mais justo do que ter um homem deste naipe defendendo a instituição junto com essa equipe, como o George Ayoub, David Fernandes, entre outros . Realmente são pessoas profissionais  e empreendedoras. Parabéns a todos e contem com nosso apoio”.

 

 

 

Publicidade