SEMANÁRIO ZONA NORTE - JORNAL DE MAIOR CIRCULAÇÃO NA ZONA NORTE

Notícias Homenagem

João Carlos Dias é homenageado pela Guarda Civil Metropolitana de São Paulo

A entidade, nos seus 35 anos de existência, homenageou personalidades com a Moeda Challenge Coins

João Carlos Dias é homenageado pela Guarda Civil Metropolitana de São Paulo
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

A Guarda Civil Metropolitana de São Paulo promoveu na manhã de sexta-feira, dia 15 de outubro, um café da manhã para homenagear personalidades que contribuem com o trabalho da entidade. 
Na ocasião, foi entregue a essas personalidades a Moeda  Challenge Coins e o diploma “Amigos da Guarda Civil Metropolitana”.
O diretor do Semanário da Zona Norte, João Carlos Dias recebeu  a homenagem  da GCM pelos relevantes serviços prestados à instituição e à população paulistana. 
A homenagem também se estendeu à vereadora Edir Sales, conhecida como a madrinha da GCM, e ao representante de vendas da empresa Condor, José Ralio, pelo apoio e dedicação  à entidade. 
Para o inspetor superintendente Agapito Marques, comandante  - geral da Guarda Civil Metropolitana de São Paulo “os 35 anos da Guarda Civil Metropolitana de São Paulo é um marco. Sou da primeira turma e naquela época  as salas de aulas eram feitas embaixo de um pé de árvore sem nenhuma estrutura. Hoje com o surgimento da Academia de Formação da Guarda Civil Metropolitana,  antes Departamento de Ensino, a GCM veio numa crescente e conquistou seu espaço. 
O então prefeito de São Paulo, Jânio Quadros, teve a brilhante ideia de criar a GCM. 
Embora, hoje no Brasil possuímos muitas guardas mais antigas que a Guarda Civil de São Paulo, ela se tornou referência nacional. Isso é para nós  um grande orgulho. Ser comandante da maior da guarda do Brasil é um desafio. Atualmente, a Guarda de São Paulo possui uma excelente estrutura. E pesa muito nas costas tomar conta de 6 mil homens. Eu rezo muito para Deus e peço para que Ele nos ilumine e não nos permita que façamos injustiças.   Temos que olhar com muito cuidados, todas as ações que envolvem a entidade, como planejamento e organização, para assim atender a população da melhor forma possível. E esse trabalho de integração entre as forças vivas da sociedade que o João Carlos Dias promove  é essencial e nos ajuda muito porque abre portas. É uma forma de interagir e fazer parcerias com outras instituições de segurança. Recentemente o Exército fez um trabalho conosco em prol da proteção das áreas ambientais.  Às vezes precisamos de alguma informação e sabemos onde buscar.   Para mim é um orgulho comandar a  Guarda Civil Metropolitana de São Paulo. 
Entrei na GCM por um acaso, fui acompanhar um amigo e acabei gostando do trabalho da instituição. Com certeza Deus já tinha um projeto para realizar na minha vida.  Meu amigo não conseguiu entrar e eu sim. 
A cidade de São Paulo é muito dinâmica, e para comandar essa enorme metrópole, temos também que ter dinamismo. Temos que estar sempre inovando e buscando novas metodologias de trabalho. Além disso, a tecnologia é muito importante para segurança. De acordo com uma recente pesquisa, a cidade de São Paulo é  a mais segura do Brasil. Temos o menor índice de homicídios, ou seja, 5,4% de homicídios para cada 100 mil habitantes. E temos certeza que a GCM faz parte disso. Infelizmente, o crime migra e vai se adaptando, e as forças de segurança tem que buscar novas metodologias e pesquisas.  Isso acontece desde os treinamentos e da formação dos oficiais. Anualmente, o nosso efetivo passa por um processo de qualificação e capacitação. É obrigatório passar por esse estágio onde eles se dedicam 70 horas por ano para a Academia. Isso é importante para que os profissionais tomem  conhecimento da nova legislação e de novos equipamentos que surgem na entidade.
É importante também ressaltar a crescente participação da mulher na Guarda Civil. Um exemplo é a secretária municipal de Segurança Urbana e  ex-comandante -geral da GCM , Elza Paulino de Souza. 
E a GCM não parou de trabalhar durante a pandemia de coranavírus dando apoio para a Secretaria Municipal de Saúde. A Guarda Civil é um dos órgãos principais  da Prefeitura . Tivemos 40 perdas neste período, mas a entidade continua fazendo o trabalho dela.   Temos fé que com a graça de Deus essa pandemia fique no passado.
A moeda Challenge Coin é a primeira em 35 anos de existência. Ela representa um símbolo de amizade da instituição. É uma forma de homenagear as pessoas que de alguma forma contribui em prol da segurança. Ela representa o passado, o presente e o futuro. Agraciar as pessoas com essa moeda é uma forma de proporcionar respeito e, acima de tudo amizade.  
O João Carlos Dias é uma pessoa que exerce uma influência  positiva na Zona Norte e na cidade de São Paulo. O trabalho que ele faz de integração entre as forças vivas da sociedade é formidável. Ele contribui de forma espetacular para que a redução da criminalidade diminua e seja alcançada. Nossa gratidão eterna para o Joao Carlos.  
Para o capitão de mar e guerra Erivelton Araújo Graciliano, chefe - geral do serviço do Comando do 8º Distrito Naval “a integração entre as forças vivas da sociedade é muito importante não só para a otimização do trabalho, mas também para a troca de informações e experiências. É fundamental o papel da GCM. E a Marinha do Brasil está orgulhosa de estar participando hoje deste evento. E a entidade tem muita representatividade devido ao longo período de fundação. E essa homenagem ao diretor do Semanário da  Zona Norte, João Carlos Dias, é merecida, e a gente se sente prestigiado por estar aqui hoje. Parabenizo o João pela homenagem”.
A vereadora e madrinha da Guarda Civil Metropolitana de São Paulo, Edir Sales também esteve presente no evento e foi uma das homenageadas com a Moeda  Challenge Coins. “Tenho muito apreço pela GCM, em especial, porque meu irmão Edson Sales, secretário da Defesa Civil na gestão do prefeito Jânio Quadros, votou o projeto de lei para criar a GCM em São Paulo. Ele passou esse legado para mim. É uma alegria muito grande estar aqui hoje. E a Moeda é importante para homenagear as pessoas que colaboraram  para que a entrega dela acontecesse. É uma honra eu estar recebendo essa moeda da GCM. Aproveito para cumprimentar o comandante - geral Agapito, a secretária Elza Paulino e a todos os nossos guardas que estão participando desta grande homenagem que a Guarda oferece. Parabenizo o João Carlos pela homenagem. Ele é apaixonado pela GCM e pelas demais guardas. O principal é de que ele noticia coisas boas das entidades de segurança”.
Já para Antonio Vitorio Cecere, superintendente interino da Polícia Científica de São Paulo “ A Guarda Civil Metropolitana é uma parceira da segurança pública. É importante e de muita valia a participação de uma entidade como a GCM no sistema integrado. A atual gestão Secretaria Municipal de Segurança Pública de São Paulo vê a GCM como um órgão importante para a sociedade., além  de valorizá-la. 
É um prazer estar aqui participando deste evento, e homenageando um parceiro e amigo muito valioso 
que é o João Carlos Dias. Ele é uma pessoa que tem uma alma e um coração muito grande e presta um 
excelente  trabalho divulgando as instituições. Desejo um fraterno abraço para o meu querido amigo João”.       
De acordo com cel. Andrei Leça Borges, prefeito de Aeronáutica de São Paulo “a GCM faz um trabalho muito louvável. Cheguei este ano na cidade de São Paulo. E me chamou muita atenção o profissionalismo e o compromisso  deles na sociedade, em especial na execução do serviço bem feito e na  humanização do atendimento, independente do grau de importância. Ou seja eles tratam o cidadão como devem ser tratados. E esta iniciativa de homenagear  pessoas que trabalham em prol da segurança pública é algo que deve ser estendido em outras regiões. Aproveito a oportunidade para parabenizar o João Carlos Dias pela homenagem,. Ele é uma pessoa sensacional e que possui um enorme coração. Além disso, o João faz um trabalho ímpar quando promove integração  entre as autoridades e as forças vivas da sociedade OU seja, ele media  o acesso entre as pessoas que podem de alguma forma ajudar São Paulo”. 
Para a Elza Paulino de Souza, secretária municipal de Segurança Urbana de São Paulo, “em 1986 quando a GCM foi criada pelo então prefeito de São Paulo Jânio Quadros, se falava muito em segurança pública e também começava a entender de que os municípios tinham um compromisso e responsabilidade nesse processo de construção da segurança. E com advento  de várias lideranças que  começavam a fomentar  a legislação a respeito, as guardas municipais foram incluídas no sistema único de segurança pública. Através deste processo ratificou - se a importância das guardas municipais no Estado de forma geral. A  GCM, nesses 35 anos de existência, foi evoluindo e participando em especial  da prevenção do Município e da zeladoria urbana. Hoje, a entidade realiza policiamento preventivo e é responsável por algumas atividades do Município inclusive de segurança que é o braço armado do Município no território. É de extrema importância que as guardas municipais sejam ratificadas, fomentadas, potencializadas e valorizadas. Digo também que é um grande desafio comandar a Guarda Civil Metropolitana da maior metrópole do Brasil, principalmente nesta etapa pós pandemia, onde todos os paulistanos estão no processo de recuperação da economia e dos empregos. Então, é sim um desafio não apenas para nós operadores do sistema de segurança,  mas para  toda a comunidade paulistana. Acredito que estamos fazendo um excelente trabalho. E a cidade de São Paulo é o primeiro lugar em vacinação. Isso para a gente é uma alegria saber que a maioria da população paulistana está imunizada contra a Covid-19. Esse processo é extremamente importante para que consigamos de fato recuperar a economia.
Aproveito também para destacar a crescente participação da mulher na GCM. Ela tem mostrado e lutado para conquistar seu lugar. E nós mulheres não estamos competindo com ninguém e sim colaborando. 
Me sinto orgulhosa de estar onde estou e sou grata à entidade, pois foi através da Guarda Civil que consegui chegar até onde cheguei, e também grata aos meus gestores Bruno Covas e agora Ricardo Nunes. E também não poderia deixar de destacar que os amigos são fundamentais nesse processo. Não posso deixar de citar o João Carlos Dias. Ele foi uma pessoa fundamental para mim neste processo, desde quando assumi o comando da Guarda. Estou aqui hoje, mas comigo tem uma parcela de cada um. O João me acolheu num momento difícil  da minha vida. O mundo é machista, mas o Joao se desprendeu de todo o contexto que vivia e vive, que é um mundo majoritário masculino. Eu acredito em você, e foi isso que ele disse para mim quando assumi a GCM. Isso foi fundamental no meu processo de evolução. Ressalto ainda a participação exemplar do João Carlos na entrega da Moeda Challenge Coins. Começamos no passado, enquanto comandante - geral da GCM. Ele abraçou de imediato o projeto e foi buscar fomento para a realização desse processo”. 
Para o cel. PM Vanderlei Ramos, chefe de Gabinete do Comando Geral da PM ”praticamente conheço a segurança público ao mesmo tempo que a GCM . Entrei na Academia do barro Branco em  1986, mesmo ano em que a Guarda foi criada. Sei o que a GCM passou no inicio da sua criação. No começo muito conflito entre as guarda.  Hoje a GCM é prevista na Constituição Federal. Isso é muito importante. É como o nosso secretário de Segurança fala não existe ações isoladas.   Hoje não existe uma entidade trabalhando isolada. A GCM tem maior proximidade com o Município e conhece a vulnerabilidade social que reflete na segurança. Aproveito para parabenizar o Joao Carlos pela homenagem. O João sabe integrar todas essas forças de segurança. Cada órgão tem sua importância e quem ganha é a população. ”
Já para  o representante de vendas da empresa Condor, José Ralio, “a GCM de São Paulo evoluiu muito nesses 35 anos de atividade, não só em material mas também como instrução.  A única coisa que precisa mudar na entidade é seu efetivo. Mas a GCM de São Paulo é moderna e ativa e acima de tudo um exemplo para a sociedade. Para mim é uma satisfação receber a Moeda  pela importância dela. É uma alegria esse reconhecimento”. 
Para o coronel Maurício Maximo de Andrade, comandante do Comando Geral do Sudeste, “ quando falamos em segurança, há envolvimento de várias instituições e com certeza o Exercito faz parte deste objetivo que é proporcionar segurança para a população. A GCM tem um posicionamento importante para a sociedade paulistana. Para mim é uma grande alegria estar aqui no evento porque fazemos parte deste processo de evolução. E o João Carlos  tem a capacidade de agregar as instituições que poucos têm. É uma grande sinergia. Acredito que ele colabora bastante neste processo de criar sinergia entre as entidades”.
Para o general Carlos Sérgio Camara Saú, coordenador de operações integradas da Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP), “a GCM é um patrimônio da cidade de São Paulo,  pelo trabalho que ela realiza para a segurança pública. Ela faz parte do sistema de segurança pública e ela é aliada e parceira das nossas policias. A importância dela pode ser sentida diariamente em qualquer região da cidade onde ela está presente apoiando e protegendo as pessoas.  Essa homenagem de hoje é importante no sentido da integração. Fico feliz de estar presente no momento em que o João está sendo homenageado. Ele  realiza um trabalho incrível quando falamos em integração entre as forças vivas da sociedade. O Joao consegue aproximar as pessoas que representam as instituições. Esse trabalho dele é fantástico e me ajuda demais”.    
História
Geralmente as “Challenge Coins” são moedas que possuem entre quatro e cinco centímetros de diâmetro e seus modelos podem variar entre formas arredondadas, quadradas, retangulares ou com cortes personalizados. Na maioria das vezes essas moedas são feitas de estanho, cobre ou níquel e possuem uma variedade de acabamentos disponíveis, como o revestimento de bronze envelhecido, cobre envelhecido, prata envelhecida, ouro envelhecido, níquel, cobre brilhante, prata brilhante ou ouro brilhante. Os desenhos na moeda são livres, podem ser insígnias de organizações, rostos de homenageados e podem conter também frases usadas como lemas de uma instituição. Algumas moedas são esmaltadas e outras mantém a cor e textura do metal.
As primeiras “Challenge Coins”
É muito difícil saber exatamente quando as primeiras “Challenge Coins” surgiram. Dizem que na Roma Antiga, um soldado era recompensado em dinheiro pelo seu desempenho e quando considerado merecedor, recebia uma moeda a mais no seu pagamento. Alguns relatam que essas moedas de bonificação recebiam uma cunhagem especial com o símbolo da legião a qual o soldado pertencia e, então, os soldados começaram a guardar suas moedas como lembrança, ao invés de gastá-las.
Outra história interessante que remete ao surgimento das “Challenge Coins” a um soldado francês foi capturado por soldados alemães durante a Primeira Guerra Mundial. Os alemães recolheram tudo o que o soldado carregava, exceto uma pequena bolsa de couro pendurada no pescoço, onde ele guardava uma challenge coin. O soldado conseguiu escapar e chegar até uma base aliada, mas como não estava uniformizado e nem em sua unidade, acreditaram que se tratava de um espião e o condenaram à morte. Por sorte, um soldado reconheceu a insígnia gravada na sua moeda e a punição foi adiada. Depois de confirmada a sua identidade, o soldado pôde retornar para sua unidade militar.
O desafio
Segundo a história, os desafios das “Challenge Coins” surgiram na Alemanha depois da Segunda Guerra Mundial. Todos os militares americanos possuíam uma moeda pessoal para identificação e quando reuniam-se em bares eram desafiados a colocá-las sobre a mesa. Aqueles que, por ventura, estavam sem suas moedas eram obrigados a pagar a cerveja de todos os outros que apresentavam as suas “Challenge Coins”.

Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!