SEMANÁRIO ZONA NORTE - JORNAL DE MAIOR CIRCULAÇÃO NA ZONA NORTE

Notícias Datas

Bairro do Jaçanã faz aniversário em 14 de setembro

Jaçanã é um distrito situado na Zona Norte da cidade de São Paulo, pertencente à Prefeitura Regional do Jaçanã/Tremembé

Bairro do Jaçanã faz aniversário em 14 de setembro
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Jaçanã é um distrito situado na Zona Norte da cidade de São Paulo, pertencente à Prefeitura Regional do Jaçanã/Tremembé. Ficou célebre na canção Trem das Onze de Adoniran Barbosa. Seus versos dizem: Não posso ficar nem mais um minuto com você/Sinto muito, amor, mas não pode ser./Moro em Jaçanã... se eu perder esse trem, que sai agora às onze horas/Só amanhã de manhã. O bairro do Jaçanã completa, dia 14 de setembro 151 anos de vida. O Jaçanã é um dos poucos bairros em que se é capaz de encontrar dignas “lenda vivas”, sempre dispostas a contar como eram os velhos tempos de Zona Norte, as dificuldades que se encontravam e finalmente o progresso que aos poucos chegou. Os primeiros habitantes locais foram os indígenas, que deram o nome de Uroguapira para a região, pela suposta presença de ouro no local. No século 18 chegaram os jesuítas e mais tarde, em 1870, vieram alguns bandeirantes em busca de metais preciosos. Não encontrando nada, o nome então mudou para Guapira. 
Histórico
Em 1870, o bairro era conhecido como Uroguapira, pois se imaginava que houvesse ouro no local. Como não passou de um boato, abreviou-se para Guapira, nome dado pelos indígenas para a região da Cantareira. Em 1º de junho de 1930, o bairro passou a se chamar Jaçanã (uma espécie de ave ribeirinha, também chamada de parrídea, que se caracteriza pelo tom avermelhado do peito).
O bairro Jaçanã tornou-se conhecido e imortalizado em toda a cidade de São Paulo pela música Trem das Onze, de Adoniran Barbosa, em que o compositor fazia referência ao Trem da Cantareira, que ligava o centro da cidade ao reservatório de água Cantareira. Principal meio de transporte do bairro, permaneceu em atividade entre 1893 e 1965. A ferrovia possuía um ramal que passava pelo bairro e chegava até Guarulhos.
Em 1874, os primeiros leitos do Hospital Geriátrico D. Pedro II foram instalados para atender a mendigos e idosos. Em 1906, começava a ser construído o prédio que permanece até hoje, com projeto e arquitetura de Francisco de Paula Ramos de Azevedo. A inauguração ocorreu em 2 de julho de 1911, com a presença de diversas autoridades, como o então presidente do Estado Manoel José de Albuquerque Lins. Em 1904, foi inaugurado o Hospital São Luiz Gonzaga, com o nome de Leprosário Guapira e tinha a finalidade de cuidar de doentes que sofriam de lepra. A partir de 1932, o nome foi mudado e passou a cuidar de doentes de tuberculose. Nesse local também foram feitas as primeiras cirurgias cardíacas e realizado o Primeiro Congresso Brasileiro de Tuberculose. Em torno de 1934, grandes glebas de terra foram loteadas pelos irmãos Mazzei, tornando a área um típico bairro paulistano de classe média.
Em 1949, no final da Rua Francisco Rodrigues, próximo a duas chácaras e a um grande terreno de onde se tirava argila para a indústria de tijolos Aremina, foi inaugurado o primeiro estúdio de cinema de São Paulo: a Companhia Cinematográfica Maristela. Ali foram rodados filmes com Mazzaroppi, Procópio Ferreira, Adoniran Barbosa e Regina Duarte. Adoniran Barbosa ia para os estúdios no trem da Cantareira, até a estação do Jaçanã, a poucas quadras do estúdio. Esta foi a inspiração para música Trem das Onze.
Em 30 de dezembro de 1983, foi fundado o Museu Memória do Jaçanã, por Sílvio Bittencourt, com a presença de dona Matilde de Lourdes Rubinato, esposa de Adoniran Barbosa. Sílvio, com a colaboração de antigos moradores, reuniu histórias, fotos, jornais, livros e outros objetos para dar início ao registro da história do distrito. 
O Trem das Onze
Em 1910 foi inaugurada a estação de trem, então com o nome de Guapira e próxima ao Asilo dos Inválidos. Aliás, o tal Trem das Onze, clássico de Adoniram Barbosa, imortalizado pelos Demônios da Garoa, nunca existiu, pois o último trem saia às 20h30. Já na estação Vila Mazzei, este sim saia às 22h59, fazendo o comboio RG7, sentido Tamanduateí-Guarulhos. O próprio Adoniran Barbosa, numa entrevista ao programa Ensaio, descreveu: “Um minuto, um minutinho de diferença. Dava pra ir a pé, não era muito longe, mas no escuro, tropeçando”. E este era o último trem dos domingos e feriados, o Trem das Onze, que fez nascer a inspiração do compositor. A música ficou tão famosa que certa vez, um amigo de Adoniran Barbosa foi à Itália e ao ouvir a composição assinada pelo nome original do cantor (João Rubinato), alertou Adoniran, receoso de que alguém estivesse roubando o tema de Adoniran. Confusão desfeita, houve admiração de como o nome Jaçanã pôde chegar tão longe.
Cinematográfica Maristela
De 1950 a 1958 havia a Cinematográfica Maristela, uma das mais importantes companhias da época, que produziu filmes como Presença de Anita, Quem matou Anabela?, Mãos Sangrentas, Arara Vermelha e o Comprador de Fazendas. O dono e fundador, Mário Audrá Júnior, possuía terras no local e escolheu-as para fazer o estúdio por considerar um lugar tranquilo. 
Ave Jaçanã
A ave, que deu nome ao bairro por sua abundância na época, alimenta-se de frutas, brotos, flores e sementes. Trata-se de um nome Tupi para designar este pássaro que possui as patas em forma de nadadeiras como os patos. Também do Tupi, o nome Jaçanan é usado para designar o que ou aquilo que grita forte. 
Clube Guapira
O C.C.A.A. Guapira nasceu em 1918 e tem feito história como clube tradicional da Zona Norte. Começando como time de futebol, cresceu para a associação de campo que é hoje. O Guapira é famoso por seus tradicionais bailes, que há muitos anos vem sendo uma boa opção de lazer para a comunidade e é certamente um dos clubes mais bonitos de São Paulo. 
Santa Casa
A própria Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, costumava ser dona de muitos terrenos pela região. Os próprios lotes do Jardim Guapira eram de propriedade da entidade. Porém cerca de 110 alqueires de terreno, foram perdidos em invasões que hoje geraram uma população que compõe boa parte da comunidade e também gerou um processo que corre na Justiça pela regularização e busca de infraestrutura para o local. 
Hospital São Luís Gonzaga
O Hospital São Luís Gonzaga foi fundado em 4 de setembro de 1904 com o nome de Leprosário Guapira, mantido pela Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, em uma fazenda de 160 alqueires, na região do Sítio Guapira atual bairro do Jaçanã, São Paulo. O hospital tinha a finalidade de cuidar de doentes que sofriam de hanseníase, a partir de 1932 o nome foi mudado e passou a cuidar de doentes da tuberculose, nesse local também foram feitas as primeiras cirurgias cardíacas e realizado o Primeiro Congresso Brasileiro de Tuberculose.
Heróis
A região conta também com algumas personalidades que certamente marcaram a história como o aviador Edu Chaves, que tinha seu campo de pouso e hangar no que é hoje o bairro do Edu Chaves. Após o aviador, o terreno foi loteado dando origem à comunidade. Outro herói importante é Édson Rodrigues que era um policial que acabou morrendo num confronto com bandidos e teve seu nome lembrado para batizar uma das escolas que compõe a rede educacional do Jaçanã.

 

Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!