SEMANÁRIO ZONA NORTE - JORNAL DE MAIOR CIRCULAÇÃO NA ZONA NORTE

Notícias Colunistas

Vivendo como os apóstolos

Tendo escolhido dentre seus discípulos os 12 (doze) apóstolos

Vivendo como os apóstolos
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando


Tendo escolhido dentre seus discípulos os 12 (doze) apóstolos, Jesus anunciou as bem-aventuranças, curou enfermos, expeliu espíritos malignos, trouxe-lhes as sublimes parábolas contendo lições de amor, humildade e caridade, dando-lhes o modo de como eles deveriam agir ao cumprirem sua tarefa.


Assim, na sua curta, mas marcante trajetória, além de renovar e dar cumprimento a lei ao trazer sua mensagem de amor à humanidade, não dispensou a colaboração dos homens chamando-os a se integrarem em Sua missão.
Se durante Sua estada terrena os apóstolos não tiveram uma atuação mais efetiva após seu retorno as esferas espirituais atenderam a seguinte orientação: “Vão e anunciem: O Reino do Céu está próximo. Curem os doentes, ressuscitem os mortos, purifiquem os leprosos, expulsem os demônios. Vocês receberam de graça, deem também de graça!”, e constituíram o mais perfeito trabalho de equipe em favor da humanidade, transmitindo e vivenciando a boa nova por toda parte (Mateus, 10:7/8).
Foi assim que, imbuídos do ideal de servir e repartindo o pão milagroso da fé com todos os famintos do coração, os discípulos, homens simples, efetivamente se transformam em apóstolos e fiéis continuadores da Sua tarefa.


Passados mais de dois mil anos dos ensinamentos de renovação da Lei, pela qual se denota a preponderância das coisas do espírito, é mais que chegado o momento do entendimento e da prática da fé verdadeira, enquanto aquela que fortalece a corpo para o enfrentamento das vicissitudes do cotidiano e da alma, fazendo dos homens seres melhores.


Como destacou Allan Kardec ao descrever as qualificações do homem de bem: “o homem de bem usa, mas não abusa, dos bens que lhe são concedidos”. 


Portanto, é de se compreender que as coisas materiais são efêmeras e seu uso deve ser feito em razão da sua utilidade, sem apego. Quando houver entendimento disso o ser humano se verá com um ser espiritual que, provisoriamente, vive em um corpo físico e, sem qualquer dúvida, exercitará o amor, tal qual a lição do postulado de Jesus  que era e é de humildade e de desinteresse pelas coisas da matéria simplesmente porque privilegia o espírito. 


Fortalecidos no entendimento da fé, que deve ser reconhecida como a mãe de todas as virtudes, ao ser humano é dada a oportunidade de, como verdadeiro apóstolo, dar continuidade aos exemplos e lições de Jesus, transformando sua vida e a vida daqueles que o rodeiam ao elevar seu coração pela humildade e pela caridade, sem que precise levar em seus cintos de moedas de ouro, prata ou de cobre (Mateus, 10:9).


Enfim, todos aqueles que ouvem os ensinamentos de Jesus e os praticam são os continuadores na execução do trabalho realizado pelos apóstolos dos primeiros tempos.

Paulo Eduardo de Barros Fonseca

Comentários:

+ Lidas

Nossas notícias no celular

Receba as notícias do Semanário ZN no seu app favorito de mensagens.

Telegram
Whatsapp
Entrar
Anunciante 039

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!