SEMANÁRIO ZONA NORTE - JORNAL DE MAIOR CIRCULAÇÃO NA ZONA NORTE

Prefeitura de São Paulo lança o Programa Samu Saúde Mental

Programa destina seis unidades para o atendimento prioritário de saúde mental

O Programa destina seis unidades para o atendimento prioritário de saúde mental; rede municipal recebe 18 ambulâncias novas, para renovação da frota

prefeito Bruno Covas e o secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido, anunciaram na segunda-feira (26) novos incentivos para a rede do município. Uma das medidas foi o lançamento do programa Samu Saúde Mental, que prevê, entre outras ações, a disponibilização de seis ambulâncias para uso prioritário desses pacientes, inclusive no deslocamento para consultas a partir de 2019. As unidades serão entregues às Coordenadorias de Saúde da cidade.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) da capital também será reforçado com a entrega de 18 novas ambulâncias, que começam a circular a partir de dezembro. Os veículos serão destinados ao atendimento de urgência e emergência, em diferentes regiões da cidade.

“Chegamos a quase 1/4 da frota renovada e destinar parte dessas ambulâncias para o atendimento de Saúde Mental é de grande importância para a cidade de São Paulo. Tenho certeza que a nossa cidade sai mais uma vez na frente com uma experiência inovadora com atendimento próprio para esse tipo de paciente mostrando o quanto que a cidade de São Paulo, além de tudo, é pioneira em boas iniciativas", disse o prefeito Bruno Covas.

Junto com outras 14 ambulâncias que foram entregues pelo Ministério da Saúde em 2017, o Município de São Paulo renovou, em menos de dois anos, 25% da sua frota habilitada. Atualmente, o serviço conta com 122 ambulâncias habilitadas. Destas, 107 são de Suporte Básico de Vida e as outras 15 de Suporte Avançado.

“A entrega das novas viaturas melhora a qualidade do serviço de atendimento móvel de urgência da capital. A renovação da frota garante que as ambulâncias estejam mais tempo em operação, diminuindo a necessidade de manutenções corretivas”, ressaltou Edson Aparecido, secretário municipal da Saúde.

  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Prefeitura de São Paulo lança o Programa Samu Saúde Mental

O Programa destina seis unidades para o atendimento prioritário de saúde mental; rede municipal recebe 18 ambulâncias novas, para renovação da frota

prefeito Bruno Covas e o secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido, anunciaram na segunda-feira (26) novos incentivos para a rede do município. Uma das medidas foi o lançamento do programa Samu Saúde Mental, que prevê, entre outras ações, a disponibilização de seis ambulâncias para uso prioritário desses pacientes, inclusive no deslocamento para consultas a partir de 2019. As unidades serão entregues às Coordenadorias de Saúde da cidade.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) da capital também será reforçado com a entrega de 18 novas ambulâncias, que começam a circular a partir de dezembro. Os veículos serão destinados ao atendimento de urgência e emergência, em diferentes regiões da cidade.

“Chegamos a quase 1/4 da frota renovada e destinar parte dessas ambulâncias para o atendimento de Saúde Mental é de grande importância para a cidade de São Paulo. Tenho certeza que a nossa cidade sai mais uma vez na frente com uma experiência inovadora com atendimento próprio para esse tipo de paciente mostrando o quanto que a cidade de São Paulo, além de tudo, é pioneira em boas iniciativas", disse o prefeito Bruno Covas.

Junto com outras 14 ambulâncias que foram entregues pelo Ministério da Saúde em 2017, o Município de São Paulo renovou, em menos de dois anos, 25% da sua frota habilitada. Atualmente, o serviço conta com 122 ambulâncias habilitadas. Destas, 107 são de Suporte Básico de Vida e as outras 15 de Suporte Avançado.

“A entrega das novas viaturas melhora a qualidade do serviço de atendimento móvel de urgência da capital. A renovação da frota garante que as ambulâncias estejam mais tempo em operação, diminuindo a necessidade de manutenções corretivas”, ressaltou Edson Aparecido, secretário municipal da Saúde.

Publicidade