SEMANÁRIO ZONA NORTE - JORNAL DE MAIOR CIRCULAÇÃO NA ZONA NORTE

Expocultural 2018 surpreende pais e visitantes com exposição no Colégio Jardim São Paulo

O futuro em nossas mãos

Coordenadoras e professoras da Educação Infantil e primeiros anos

A Expocultural 2018 do Colégio Jardim São Paulo foi aberta no sábado, dia 15 de setembro, na Unidade  Cantareira.  A tradicional exposição teve como tema “O futuro em nossas mãos” onde o principal objetivo é preservar o meio ambiente e os animais.

A Organização das Nações Unidas (ONU) estima que, em menos de 30 anos, cerca de dois terços da humanidade pode vir a passar sede. Acredita-se ainda que num futuro bem próximo, a principal guerra será por água.

Todos os trabalhos expostos das turmas da Educação Infantil e Ensino Fundamental I foram desenvolvidos com os alunos em sala de aula e levados à feira. 

Sabrina Carrito Rossi, alunos Igor Rossi dos Santos, Enzo Ryu Nakasa e Caio Tavares Costa, no estande Segunda sem carne

Silvana Angélica Lopes; os alunos Marcelo Lopes e Marcelo de Almeida Munari; Tatiane de Almeida Munari, no estande com o tema Extinção de Espécies

A mostra levou visitantes, pais e alunos a reviverem recordações e descobertas apresentando temas ligados ao trabalho social e aos cuidados com a natureza.

Confira alguns depoimentos:

A professora e diretora-geral do Colégio Jardim São Paulo, Christina Milano Meinberg, também destacou os 70 anos da instituição, referência em educação na Zona Norte. “A Expocultural traz um grande entrosamento entre os alunos, professores e a família. Observamos ainda a criação de novos talentos, vemos que eles aprenderam muito bem a matéria. A Expocultural é um crescimento e uma necessidade dos colégios hoje  de realizarem estas feiras, como nós fazemos tradicionalmente. É importante a comunicação entre os alunos, estamos muito contentes e espero que seja um sucesso. Estou muito feliz, pois o nosso trabalho é muito sério. O Colégio Jardim São Paulo é uma grande família, onde existe esta integração. Quero aproveitar e deixar um grande abraço às professoras, coordenadoras, minha nora Patrícia Meinberg e a querida Carolina Meinberg que agora também está à frente da unidade Cantareira. Agradecer ainda a meu neto Paulo Henrique, meus filhos Paulo Meinberg e Maria Elisa Meinberg, que compõem o Colégio Jardim São Paulo”. A diretora também ressaltou a importância da sustentabilidade. “O assunto deve ser explorado desde quando a criança nasce, pois o nosso planeta precisa disso. O Colégio também deve ter uma função muito grande em tudo que se refere a esse tema”.

Fábrica dos jovens inventores

Erica Vecchi, Bruno Vecchi e Rafaela Vecchi, da Educação Infantil

A professora Christina Meinberg ainda afirmou o papel dos pais na educação dos filhos. “Os pais estão muito participativos e interessados e é por isso que o Colégio Jardim São Paulo completou 70 anos de existência. A entidade teve início ainda pequena, idealizada pelo grande mestre Paulo Meinberg, sempre estive ao lado dele, fomos crescendo aos poucos, lançamos as unidades Cantareira e Tremembé até surgir a Faculdade Cantareira. Tudo feito com muita seriedade e respeito aos professores, alunos e pais. Esse é o segredo do nosso sucesso, seriedade e amizade”.

Já a professora Patrícia  Moretti Meinberg, coordenadora-geral do Colégio Jardim São Paulo afirmou a importância do tema abordado este ano pela Expocultural. A Expocultural deste ano veio com um tema muito rico, escolhido por todas as nossas coordenadoras pedagógicas. É um momento de reflexão para os nossos alunos sobre o futuro, pois o futuro da sustentabilidade está nas mãos deles  com pequenas atitudes cotidianas. Estamos muito ligados ao recriar, reutilizar, reaproveitar, é uma reflexão que gera uma mudança de atitude. A feira é uma oportunidade de unir as famílias, a escola, os alunos para um bem comum, ou seja, do nosso planeta. A pesquisa escolar é uma grande oportunidade para aprofundar os conteúdos que são importantes para a vivência dos alunos”.

Patrícia falou do engajamento entre pais e filhos. “Pais e alunos ficaram muito engajados com o processo e foi muito bonito o momento da montagem com  a interação entre eles. É também um grande momento de aprendizado para os pais. A Expocultural traz a oportunidade de conhecimento para todos nós professores, coordenadores e pais”.

A professora e psicóloga também destacou as mudanças de comportamento entre as pessoas ao longo dos anos e afirmou que a tecnologia é uma das ferramentas que contribui para o desenvolvimento dos alunos. “A Neurociência já fala da mudança de comportamento, a criança é muito mais visual do que auditiva, a escola tem um papel fundamental  na formação dos alunos e com conteúdos que mudam o comportamento da criança. Eu acredito no processo educativo, quando falamos em vários momentos sobre o mesmo assunto, trazemos uma conscientização maior e uma mudança de comportamento.  As  nossas crianças têm um grande respeito pela natureza, isso é muito bonito. O Colégio Jardim  São Paulo investe muito nesta conscientização”.

Major PM Fabio Okasaki e o aluno Murilo de Sena Okasaki, no estande Vila das Ongs

Coordenadoras e professoras do Ensino Fundamental I

Patrícia Meinberg também falou da importância da pesquisa escolar. “ Há tempos o Colégio Jardim São Paulo buscou uma assessoria sobre pesquisa escolar com um grupo especializado  da PUC que nos trouxe um olhar diferenciado,  não só na coleta de dados, como nós fazíamos na nossa época, mas também na reprodução da pesquisa. Ou seja, transformar isso em conhecimento a partir da nossa coleta de dados”.

Segundo Carolina Moretti Meinberg, também psicóloga e coordenadora do Colégio Jardim São Paulo” a Expocultural é um momento muito importante na vida dos nossos alunos e pais, pois é um momento de envolvimento. Algo muito difícil nos dias de hoje devido à tecnologia e à correria diária. É muito gratificante poder unir as famílias com o tema sustentabilidade, um assunto extremamente amplo, ou seja, quantas coisas conseguimos abranger a partir de um tema. Por exemplo, a Educação Infantil abordou os cuidados com os animais silvestres da Floresta Amazônica, os segundos e terceiros anos trabalharam o papel das ONGs na preservação do meio ambiente e na proteção da natureza  e os quartos e quintos anos com subtemas diversos.”

A coordenadora da entidade também falou do engajamento entre pais e filhos no  desenvolvimento educacional. “É um processo muito bonito de se ver, toda a família aprende, é um vínculo muito interessante formado entre eles”.  

Coordenadora Patricia Meinberg, coordenadora Cristina Mello de Lima e coordenadora Carolina Meinberg

Coordenadora Patricia Meinberg, profa. Christina Milano Meinberg e Carolina Meinberg

Carolina afirmou ainda que as crianças estão mais preocupadas com a preservação do meio ambiente. “A sustentabilidade é um tema que assombra a sociedade, pois observamos que há perdas muito drásticas na natureza. Temos muitas novidades neste campo e acredito que as crianças estão tendo uma conscientização maior. Um exemplo é a escassez de água, precisamos cuidar do nosso planeta e buscar soluções para que isso não ocorra”.

Para Adirley Ana de Araújo Laurito, coordenadora das quartas e quintas turmas do Ensino Fundamental I “este ano abordamos a questão da sustentabilidade porque tudo depende desta geração que está surgindo, as crianças de hoje têm que entender que a preservação é a melhor maneira de manter o planeta em harmonia. Para isso, desenvolvemos, antes deste trabalho final, um trabalho de pesquisa com todos os elementos necessários para que o futuro esteja sempre em nossas mãos. A pesquisa proporcionou a eles um grande envolvimento com o tema. Eles sabem que depende deles um mundo mais sustentável. Quando fazemos este tipo de trabalho contamos muito com a parceria dos pais. Eles colaboraram de uma forma ímpar e de muito compromisso. Os pais ajudaram e participaram deste processo, temos uma enorme gratidão”.

De acordo com Deize Gansauskas Pavanelli, coordenadora da Educação Infantil, unidade Cantareira, do período da manhã, “precisamos passar para o mundo, em especial para as crianças, a importância do cuidado com o planeta e a escola tem um papel fundamental em relação ao assunto.  Este trabalho é muito prazeroso, hoje, dia da exposição, é um momento gratificante. Nós dividimos com  a família os projetos que nós fazemos junto com as crianças”.

Alunos do 4º ano C, Enzo Suzuo, Enzo Catharino e Victor Krstic; e Vesna Krstic

Profa. Christina Milano Meinberg, sempre prestigiando a Expocultural

Para Daniela Reco, coordenadora da Educação Infantil, unidade Cantareira, período da tarde, falou da importância da Expocultural e de sua experiência como mãe de aluno. “Quando o interesse parte da criança, o trabalho faz outro sentido. Minha experiência enquanto mãe é maravilhosa. Meu filho David, de 5 anos, já tem consciência da importância da natureza e da preservação dos animais, nesta  fase eles aprendem como serem guardiões da natureza”. 

Já para a coordenadora dos segundos e terceiros anos, Cristina Mello de Lima “a Expocultural envolve muito a família, pois ela acaba se aproximando mais do colégio. Os alunos pesquisaram e criaram a própria ONG deles voltada para questões ambientais. Cada classe também teve a oportunidade de construir uma casa sustentável. O trabalho foi reflexão e questionamento, além de pesquisarem todo o impacto ambiental do lixo no meio ambiente. O empreendedorismo também esteve presente na Expocultural. Os alunos puderam criar suas próprias empresas sustentáveis com produtos para diminuir o impacto da poluição, economizar água e energia elétrica”. 

Daniela Mello Danezzi; os alunos do 4º ano D, Daniel, Victor e Eduardo, com o pequeno Felipe

Vivian Kukunaga; alunos do 4º ano A, Gabriel Bonanat e Marcelo Zenker, e Aline Zenker

Para Vesna Krstic, mãe do aluno Vitor Krstic, de 10 anos, é essencial conscientizar os alunos da importância da reciclagem.  “A Expocultural traz muitos benefícios, os alunos fazem as pesquisas em grupo, há a interação entre as mães. E entre os companheiros de grupo o entrosamento foi bem bacana depois do trabalho. O mais importante é que eles estão expondo e se relacionando com as pessoas, o que para alguns é muito difícil. E os assuntos que são muito atuais e importantes. O assunto deste ano que é a questão da sustentabilidade traz muito conhecimento para os alunos, pois eles são o futuro do nosso país, temos que incentivá-los a fazer o máximo e conscientizá-los da importância da reciclagem”.  

Ana Guedes; as alunas do 5º ano B, Maria Luiza Guedes e Joana Zoeh

Muita atenção nos temas explicados

Segundo a aluna Beatriz Pizani, de 11 anos, as pessoas deveriam se preocupar mais com a preservação da natureza e dos animais. “A Expocultural é uma experiência gratificante, o objetivo da feira é para mostrar a cultura entre os povos. Hoje estamos apresentando a vida do Chico Mendes, pois ele foi um seringueiro que morreu para proteger e preservar a Floresta Amazônica. Minha mensagem é para que as crianças não joguem lixo nas ruas e também preservem o meio ambiente”.

Maria Luiza Pinto Guedes, de 10 anos assim se pronunciou: “É a primeira vez que participo da Expocultiral, e o tema deste ano “O futuro está em nossas mãos” é muito importante. Temos que preservar o meio ambiente. A comunidade deve se preocupar mais com o meio ambiente, em especial com animais, pois muitos estão em extinção. E as árvores também são importantes, pois elas deixam a gente respirar e o ar fica mais limpo”.

Ernando Bizello, Carla Bizello e aluna da Educação Infantil, Valentina

Profa Silvia, Vanessa Bento, Fabio Ferreira e os alunos da Educação Infantil, Manuela e Leonardo

Para Aline Zenker, mãe do aluno Marcelo Zenker, de 10 anos, “a importância vem desde o momento que eles formam o grupo e começam a pesquisar sobre o assunto. É importante também a interação entre os alunos e os pais já que eles que aprendem com os filhos. É fundamental esta questão da sustentabilidade e da preservação do meio ambiente, eles precisam se conscientizar da sua importância desde crianças porque senão daqui alguns anos não teremos mais planeta”.

Vanessa Bento, mãe da Manuela Bento Ferreira, de 6 anos e Leonardo Bento Ferreira, de 4, disse: “A Expocultural permite que as crianças venham, vejam e reconheçam o seu trabalho nas atividades que eles executaram ao longo do semestre. É fundamental  ainda eles trazerem  os pais junto com eles. A Manuela e o Leonardo estavam muito ansiosos para mostrar aos pais o que eles tinham feito. O assunto deste ano ‘O futuro está em nossas mãos”  também é muito interessante pois é importante mostrar para as crianças o respeito ao meio ambiente e também colocar na rotina delas coisas sustentáveis e empregar a cultura da sustentabilidade dentro das nossas residências”

Carla Galindo, mãe da aluna Valentina Galindo Bizello, de 3 anos.  “A Expocultural é muito importante para o desenvolvimento da criança, pois é desde pequena que ela aprende a preservar a natureza e os animais. Valentina ama muito os animais, nós temos muitos bichinhos em casa. A maioria das crianças não têm muita orientação sobre a preservação da natureza. Certamente a educação vem de berço e é essencial aprendermos desde criança a preservar o meio ambiente”. 

Muita atenção e interesse na explanação feita pelos alunos

Amazônia, trabalho realizado pelos alunos da Educação Infantil e primeiros anos

Bruno Vecchi, pai da aluna Rafaela Cantagesso Vecchi “a Expocultrual é de grande importância para nós pais e também para a Rafaela porque faz com que ela participe do processo. Todo o desenvolvimento é acompanhado pelos professores e coordenadores. Como o tema foi Amazônia, ela pode ter contato com os animais. Para nós é muito gratificante este momento, participar da pesquisa com a Rafaela e trazer de uma forma que ela pudesse entender”.

Silvana Angélica Lopes, mãe do aluno Marcelo Lopes, de 9 anos, “meu filho é novo na escola, então a minha primeira experiência. Achei fundamental tanto na parte de desenvolver neles a curiosidade, a capacidade de pesquisa, falar em público e principalmente o trabalho em grupo. O Marcelo é muito mais consciente quanto à preservação da natureza em relação à minha geração. Em todos os sentidos, no amor à natureza e compaixão aos animais. É uma esperança de tornar um planeta melhor. A integração também foi muito importante entre as mães, foi possível desenvolver uma relação mais sólida entre nós”.

Para o aluno Igor Rossi dos Santos, de 10 anos, “a Expocultural trouxe muito conhecimento e experiência. “Eu gosto muito de estudar, li bastante artigos sobre o tema ‘consumo excessivo de carne tem impacto no meio ambiente. Eu acho que as pessoas devem preservar mais a natureza e os animais. A Organização Mundial da Saúde recomenda ingerir cerca de 350 gramas de carne por semana. Não precisa ser uma pessoa vegana, e sim consumir carne de forma consciente”.

Segundo o major da PM Fábio Okasaki, pai do aluno Murilo de Sena Okasaki, “é gostoso reviever o tempo que tínhamos a Expocultural na escola e saber que nossos filhos estão sendo educados para preservar o meio ambiente e valorizar a cultura indígena. Acredito que devemos nos prevenir, é o que fazemos na Polícia Militar através do Proerd, ou seja, uma prevenção primária fazendo com  que as crianças cresçam como cidadãs conscientes. O engajamento entre pais e filhos também é muito importante pois podemos observar a evolução dos nossos filhos e o esforço que eles empregam para fazer o trabalho”.  

A Vila das Ongs, dos alunos dos 2ºs anos foi muita concorrida

Como sempre, o interesse pela Expocultural foi grande

Para Daniela Mello Danezzi, mãe do aluno Victor Danezzi, de 9 anos “a Expocultural é muito importante pois eles desenvolvem os temas e ficam mais comunicativos. Acredito que a questão da preservação do meio ambiente deve vir desde criança. Achei muito interessante a colaboração e o engajamento entre pais e filhos”. 

  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Expocultural 2018 surpreende pais e visitantes com exposição no Colégio Jardim São Paulo

Coordenadoras e professoras da Educação Infantil e primeiros anos

A Expocultural 2018 do Colégio Jardim São Paulo foi aberta no sábado, dia 15 de setembro, na Unidade  Cantareira.  A tradicional exposição teve como tema “O futuro em nossas mãos” onde o principal objetivo é preservar o meio ambiente e os animais.

A Organização das Nações Unidas (ONU) estima que, em menos de 30 anos, cerca de dois terços da humanidade pode vir a passar sede. Acredita-se ainda que num futuro bem próximo, a principal guerra será por água.

Todos os trabalhos expostos das turmas da Educação Infantil e Ensino Fundamental I foram desenvolvidos com os alunos em sala de aula e levados à feira. 

Sabrina Carrito Rossi, alunos Igor Rossi dos Santos, Enzo Ryu Nakasa e Caio Tavares Costa, no estande Segunda sem carne

Silvana Angélica Lopes; os alunos Marcelo Lopes e Marcelo de Almeida Munari; Tatiane de Almeida Munari, no estande com o tema Extinção de Espécies

A mostra levou visitantes, pais e alunos a reviverem recordações e descobertas apresentando temas ligados ao trabalho social e aos cuidados com a natureza.

Confira alguns depoimentos:

A professora e diretora-geral do Colégio Jardim São Paulo, Christina Milano Meinberg, também destacou os 70 anos da instituição, referência em educação na Zona Norte. “A Expocultural traz um grande entrosamento entre os alunos, professores e a família. Observamos ainda a criação de novos talentos, vemos que eles aprenderam muito bem a matéria. A Expocultural é um crescimento e uma necessidade dos colégios hoje  de realizarem estas feiras, como nós fazemos tradicionalmente. É importante a comunicação entre os alunos, estamos muito contentes e espero que seja um sucesso. Estou muito feliz, pois o nosso trabalho é muito sério. O Colégio Jardim São Paulo é uma grande família, onde existe esta integração. Quero aproveitar e deixar um grande abraço às professoras, coordenadoras, minha nora Patrícia Meinberg e a querida Carolina Meinberg que agora também está à frente da unidade Cantareira. Agradecer ainda a meu neto Paulo Henrique, meus filhos Paulo Meinberg e Maria Elisa Meinberg, que compõem o Colégio Jardim São Paulo”. A diretora também ressaltou a importância da sustentabilidade. “O assunto deve ser explorado desde quando a criança nasce, pois o nosso planeta precisa disso. O Colégio também deve ter uma função muito grande em tudo que se refere a esse tema”.

Fábrica dos jovens inventores

Erica Vecchi, Bruno Vecchi e Rafaela Vecchi, da Educação Infantil

A professora Christina Meinberg ainda afirmou o papel dos pais na educação dos filhos. “Os pais estão muito participativos e interessados e é por isso que o Colégio Jardim São Paulo completou 70 anos de existência. A entidade teve início ainda pequena, idealizada pelo grande mestre Paulo Meinberg, sempre estive ao lado dele, fomos crescendo aos poucos, lançamos as unidades Cantareira e Tremembé até surgir a Faculdade Cantareira. Tudo feito com muita seriedade e respeito aos professores, alunos e pais. Esse é o segredo do nosso sucesso, seriedade e amizade”.

Já a professora Patrícia  Moretti Meinberg, coordenadora-geral do Colégio Jardim São Paulo afirmou a importância do tema abordado este ano pela Expocultural. A Expocultural deste ano veio com um tema muito rico, escolhido por todas as nossas coordenadoras pedagógicas. É um momento de reflexão para os nossos alunos sobre o futuro, pois o futuro da sustentabilidade está nas mãos deles  com pequenas atitudes cotidianas. Estamos muito ligados ao recriar, reutilizar, reaproveitar, é uma reflexão que gera uma mudança de atitude. A feira é uma oportunidade de unir as famílias, a escola, os alunos para um bem comum, ou seja, do nosso planeta. A pesquisa escolar é uma grande oportunidade para aprofundar os conteúdos que são importantes para a vivência dos alunos”.

Patrícia falou do engajamento entre pais e filhos. “Pais e alunos ficaram muito engajados com o processo e foi muito bonito o momento da montagem com  a interação entre eles. É também um grande momento de aprendizado para os pais. A Expocultural traz a oportunidade de conhecimento para todos nós professores, coordenadores e pais”.

A professora e psicóloga também destacou as mudanças de comportamento entre as pessoas ao longo dos anos e afirmou que a tecnologia é uma das ferramentas que contribui para o desenvolvimento dos alunos. “A Neurociência já fala da mudança de comportamento, a criança é muito mais visual do que auditiva, a escola tem um papel fundamental  na formação dos alunos e com conteúdos que mudam o comportamento da criança. Eu acredito no processo educativo, quando falamos em vários momentos sobre o mesmo assunto, trazemos uma conscientização maior e uma mudança de comportamento.  As  nossas crianças têm um grande respeito pela natureza, isso é muito bonito. O Colégio Jardim  São Paulo investe muito nesta conscientização”.

Major PM Fabio Okasaki e o aluno Murilo de Sena Okasaki, no estande Vila das Ongs

Coordenadoras e professoras do Ensino Fundamental I

Patrícia Meinberg também falou da importância da pesquisa escolar. “ Há tempos o Colégio Jardim São Paulo buscou uma assessoria sobre pesquisa escolar com um grupo especializado  da PUC que nos trouxe um olhar diferenciado,  não só na coleta de dados, como nós fazíamos na nossa época, mas também na reprodução da pesquisa. Ou seja, transformar isso em conhecimento a partir da nossa coleta de dados”.

Segundo Carolina Moretti Meinberg, também psicóloga e coordenadora do Colégio Jardim São Paulo” a Expocultural é um momento muito importante na vida dos nossos alunos e pais, pois é um momento de envolvimento. Algo muito difícil nos dias de hoje devido à tecnologia e à correria diária. É muito gratificante poder unir as famílias com o tema sustentabilidade, um assunto extremamente amplo, ou seja, quantas coisas conseguimos abranger a partir de um tema. Por exemplo, a Educação Infantil abordou os cuidados com os animais silvestres da Floresta Amazônica, os segundos e terceiros anos trabalharam o papel das ONGs na preservação do meio ambiente e na proteção da natureza  e os quartos e quintos anos com subtemas diversos.”

A coordenadora da entidade também falou do engajamento entre pais e filhos no  desenvolvimento educacional. “É um processo muito bonito de se ver, toda a família aprende, é um vínculo muito interessante formado entre eles”.  

Coordenadora Patricia Meinberg, coordenadora Cristina Mello de Lima e coordenadora Carolina Meinberg

Coordenadora Patricia Meinberg, profa. Christina Milano Meinberg e Carolina Meinberg

Carolina afirmou ainda que as crianças estão mais preocupadas com a preservação do meio ambiente. “A sustentabilidade é um tema que assombra a sociedade, pois observamos que há perdas muito drásticas na natureza. Temos muitas novidades neste campo e acredito que as crianças estão tendo uma conscientização maior. Um exemplo é a escassez de água, precisamos cuidar do nosso planeta e buscar soluções para que isso não ocorra”.

Para Adirley Ana de Araújo Laurito, coordenadora das quartas e quintas turmas do Ensino Fundamental I “este ano abordamos a questão da sustentabilidade porque tudo depende desta geração que está surgindo, as crianças de hoje têm que entender que a preservação é a melhor maneira de manter o planeta em harmonia. Para isso, desenvolvemos, antes deste trabalho final, um trabalho de pesquisa com todos os elementos necessários para que o futuro esteja sempre em nossas mãos. A pesquisa proporcionou a eles um grande envolvimento com o tema. Eles sabem que depende deles um mundo mais sustentável. Quando fazemos este tipo de trabalho contamos muito com a parceria dos pais. Eles colaboraram de uma forma ímpar e de muito compromisso. Os pais ajudaram e participaram deste processo, temos uma enorme gratidão”.

De acordo com Deize Gansauskas Pavanelli, coordenadora da Educação Infantil, unidade Cantareira, do período da manhã, “precisamos passar para o mundo, em especial para as crianças, a importância do cuidado com o planeta e a escola tem um papel fundamental em relação ao assunto.  Este trabalho é muito prazeroso, hoje, dia da exposição, é um momento gratificante. Nós dividimos com  a família os projetos que nós fazemos junto com as crianças”.

Alunos do 4º ano C, Enzo Suzuo, Enzo Catharino e Victor Krstic; e Vesna Krstic

Profa. Christina Milano Meinberg, sempre prestigiando a Expocultural

Para Daniela Reco, coordenadora da Educação Infantil, unidade Cantareira, período da tarde, falou da importância da Expocultural e de sua experiência como mãe de aluno. “Quando o interesse parte da criança, o trabalho faz outro sentido. Minha experiência enquanto mãe é maravilhosa. Meu filho David, de 5 anos, já tem consciência da importância da natureza e da preservação dos animais, nesta  fase eles aprendem como serem guardiões da natureza”. 

Já para a coordenadora dos segundos e terceiros anos, Cristina Mello de Lima “a Expocultural envolve muito a família, pois ela acaba se aproximando mais do colégio. Os alunos pesquisaram e criaram a própria ONG deles voltada para questões ambientais. Cada classe também teve a oportunidade de construir uma casa sustentável. O trabalho foi reflexão e questionamento, além de pesquisarem todo o impacto ambiental do lixo no meio ambiente. O empreendedorismo também esteve presente na Expocultural. Os alunos puderam criar suas próprias empresas sustentáveis com produtos para diminuir o impacto da poluição, economizar água e energia elétrica”. 

Daniela Mello Danezzi; os alunos do 4º ano D, Daniel, Victor e Eduardo, com o pequeno Felipe

Vivian Kukunaga; alunos do 4º ano A, Gabriel Bonanat e Marcelo Zenker, e Aline Zenker

Para Vesna Krstic, mãe do aluno Vitor Krstic, de 10 anos, é essencial conscientizar os alunos da importância da reciclagem.  “A Expocultural traz muitos benefícios, os alunos fazem as pesquisas em grupo, há a interação entre as mães. E entre os companheiros de grupo o entrosamento foi bem bacana depois do trabalho. O mais importante é que eles estão expondo e se relacionando com as pessoas, o que para alguns é muito difícil. E os assuntos que são muito atuais e importantes. O assunto deste ano que é a questão da sustentabilidade traz muito conhecimento para os alunos, pois eles são o futuro do nosso país, temos que incentivá-los a fazer o máximo e conscientizá-los da importância da reciclagem”.  

Ana Guedes; as alunas do 5º ano B, Maria Luiza Guedes e Joana Zoeh

Muita atenção nos temas explicados

Segundo a aluna Beatriz Pizani, de 11 anos, as pessoas deveriam se preocupar mais com a preservação da natureza e dos animais. “A Expocultural é uma experiência gratificante, o objetivo da feira é para mostrar a cultura entre os povos. Hoje estamos apresentando a vida do Chico Mendes, pois ele foi um seringueiro que morreu para proteger e preservar a Floresta Amazônica. Minha mensagem é para que as crianças não joguem lixo nas ruas e também preservem o meio ambiente”.

Maria Luiza Pinto Guedes, de 10 anos assim se pronunciou: “É a primeira vez que participo da Expocultiral, e o tema deste ano “O futuro está em nossas mãos” é muito importante. Temos que preservar o meio ambiente. A comunidade deve se preocupar mais com o meio ambiente, em especial com animais, pois muitos estão em extinção. E as árvores também são importantes, pois elas deixam a gente respirar e o ar fica mais limpo”.

Ernando Bizello, Carla Bizello e aluna da Educação Infantil, Valentina

Profa Silvia, Vanessa Bento, Fabio Ferreira e os alunos da Educação Infantil, Manuela e Leonardo

Para Aline Zenker, mãe do aluno Marcelo Zenker, de 10 anos, “a importância vem desde o momento que eles formam o grupo e começam a pesquisar sobre o assunto. É importante também a interação entre os alunos e os pais já que eles que aprendem com os filhos. É fundamental esta questão da sustentabilidade e da preservação do meio ambiente, eles precisam se conscientizar da sua importância desde crianças porque senão daqui alguns anos não teremos mais planeta”.

Vanessa Bento, mãe da Manuela Bento Ferreira, de 6 anos e Leonardo Bento Ferreira, de 4, disse: “A Expocultural permite que as crianças venham, vejam e reconheçam o seu trabalho nas atividades que eles executaram ao longo do semestre. É fundamental  ainda eles trazerem  os pais junto com eles. A Manuela e o Leonardo estavam muito ansiosos para mostrar aos pais o que eles tinham feito. O assunto deste ano ‘O futuro está em nossas mãos”  também é muito interessante pois é importante mostrar para as crianças o respeito ao meio ambiente e também colocar na rotina delas coisas sustentáveis e empregar a cultura da sustentabilidade dentro das nossas residências”

Carla Galindo, mãe da aluna Valentina Galindo Bizello, de 3 anos.  “A Expocultural é muito importante para o desenvolvimento da criança, pois é desde pequena que ela aprende a preservar a natureza e os animais. Valentina ama muito os animais, nós temos muitos bichinhos em casa. A maioria das crianças não têm muita orientação sobre a preservação da natureza. Certamente a educação vem de berço e é essencial aprendermos desde criança a preservar o meio ambiente”. 

Muita atenção e interesse na explanação feita pelos alunos

Amazônia, trabalho realizado pelos alunos da Educação Infantil e primeiros anos

Bruno Vecchi, pai da aluna Rafaela Cantagesso Vecchi “a Expocultrual é de grande importância para nós pais e também para a Rafaela porque faz com que ela participe do processo. Todo o desenvolvimento é acompanhado pelos professores e coordenadores. Como o tema foi Amazônia, ela pode ter contato com os animais. Para nós é muito gratificante este momento, participar da pesquisa com a Rafaela e trazer de uma forma que ela pudesse entender”.

Silvana Angélica Lopes, mãe do aluno Marcelo Lopes, de 9 anos, “meu filho é novo na escola, então a minha primeira experiência. Achei fundamental tanto na parte de desenvolver neles a curiosidade, a capacidade de pesquisa, falar em público e principalmente o trabalho em grupo. O Marcelo é muito mais consciente quanto à preservação da natureza em relação à minha geração. Em todos os sentidos, no amor à natureza e compaixão aos animais. É uma esperança de tornar um planeta melhor. A integração também foi muito importante entre as mães, foi possível desenvolver uma relação mais sólida entre nós”.

Para o aluno Igor Rossi dos Santos, de 10 anos, “a Expocultural trouxe muito conhecimento e experiência. “Eu gosto muito de estudar, li bastante artigos sobre o tema ‘consumo excessivo de carne tem impacto no meio ambiente. Eu acho que as pessoas devem preservar mais a natureza e os animais. A Organização Mundial da Saúde recomenda ingerir cerca de 350 gramas de carne por semana. Não precisa ser uma pessoa vegana, e sim consumir carne de forma consciente”.

Segundo o major da PM Fábio Okasaki, pai do aluno Murilo de Sena Okasaki, “é gostoso reviever o tempo que tínhamos a Expocultural na escola e saber que nossos filhos estão sendo educados para preservar o meio ambiente e valorizar a cultura indígena. Acredito que devemos nos prevenir, é o que fazemos na Polícia Militar através do Proerd, ou seja, uma prevenção primária fazendo com  que as crianças cresçam como cidadãs conscientes. O engajamento entre pais e filhos também é muito importante pois podemos observar a evolução dos nossos filhos e o esforço que eles empregam para fazer o trabalho”.  

A Vila das Ongs, dos alunos dos 2ºs anos foi muita concorrida

Como sempre, o interesse pela Expocultural foi grande

Para Daniela Mello Danezzi, mãe do aluno Victor Danezzi, de 9 anos “a Expocultural é muito importante pois eles desenvolvem os temas e ficam mais comunicativos. Acredito que a questão da preservação do meio ambiente deve vir desde criança. Achei muito interessante a colaboração e o engajamento entre pais e filhos”. 

Publicidade