SEMANÁRIO ZONA NORTE - JORNAL DE MAIOR CIRCULAÇÃO NA ZONA NORTE

Notícias Curiosidades

Dia Mundial do Dentista 3 de outubro

Profissional que cuida dos dentes, trata dos problemas da gengiva, boca e ossos da face, além da parte estética

Dia Mundial do Dentista 3 de outubro
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

No dia 3 de outubro comemora-se o Dia Mundial do Dentista, profissional que cuida dos dentes, trata dos problemas da gengiva, boca e ossos da face, além da parte estética. Algumas de suas funções são: fazer restaurações (obturações), projetar e instalar próteses e dentaduras. Pode atuar na profissão como clínico geral ou seguir uma especialidade, como: cirurgião-dentista, endodontista, implantodontia, estética, periodontista, ortodontista, odontopediatria, traumatologia e cirurgia bucomaxilofacial. O curso de odontologia tem duração média de cinco anos. A grade curricular é composta de disciplinas como anatomia, patologia e fisiologia. Inicialmente o trabalho do dentista era realizado por barbeiros ou ambulantes, em lugares mal higienizados e precários. A primeira escola dentária foi criada em 1840, em Baltimore, nos EUA. Nos dias atuais, no Brasil, o cirurgião-dentista sai da faculdade voltado para a prevenção, graças à intervenção dos ministérios da Saúde e da Educação que dão um valor maior às faculdades que optam pelo eixo da saúde coletiva. O cirurgião-dentista é o único profissional da saúde do Brasil que se encontra cientificamente e legalmente apto para tratar as alterações do sistema estomatognático e estruturas anexas, sejam alterações congênitas ou adquiridas.

Definição

“Profissional que cuida da saúde bucal, trata de moléstias dentárias e restaura ou substitui dentes danificados”

O que é ser dentista?

Dentistas, odontólogos ou cirurgiões-dentistas são profissionais responsáveis por cuidar da saúde e da estética da face, tratando os problemas bucais como: dentes, gengivas, ossos, bochechas, lábios e língua. Restaura e extrai dentes, projeta e coloca próteses, pontes e dentaduras e corrigindo defeitos da dentição. A higiene bucal também faz parte de suas atribuições.

Características necessárias

É fundamental ter habilidade manual, coordenação motora. O exercício da profissão exige que seja meticuloso e tenha a atenção concentrada. Características desejáveis: atenção a detalhes; autocontrole; boa coordenação motora; boa disposição física; boa saúde; boa visão; capacidade de concentração; capacidade de lidar com a visão de sangue e de pessoas acidentadas; disciplina; habilidade manual; interesse pelas ciências; interesse pelo corpo humano; método; paciência; perfeccionismo; senso de responsabilidade; vontade de ajudar o próximo.

Formação necessária

Para exercer suas atividades o profissional precisa do diploma de curso superior em odontologia, com duração média de cinco anos e estágio obrigatório sob supervisão de professores. Para especializar-se, o profissional pode fazer pós-graduação, com duração de dois anos, na área escolhida. O profissional deve manter-se sempre atualizado sobre os mais recentes desenvolvimentos da odontologia através de revistas especializadas e congressos.

Principais atividades

As atividades do dentista incluem: tratar os dentes, língua, bochechas, lábios e gengivas; tirar e examinar radiografias; explicar ao paciente o diagnóstico detalhado e a função do tratamento; informar os pacientes sobre a importância da prevenção da saúde bucal, obtida através de correta limpeza, equilíbrio na dieta alimentar, aplicação de flúor e frequência das consultas dentárias; preparar massas e outros produtos colocados nos dentes; remover partes deterioradas dos dentes e obturar cavidades; reparar ou extrair dentes danificados; fazer pequenas cirurgias; aplicar anestesias quando necessário; colocar pontes e outras próteses.

Áreas de atuação e especialidades

Podem ser especialistas em uma ou mais áreas da odontologia: cirurgiões-dentistas: cuidam da saúde dos dentes, do bom funcionamento da articulação e da mastigação. Previnem, fazem o diagnóstico e tratam dos problemas dentários; determinam o uso de aparelhos parciais, removíveis ou fixos; e realizam cirurgias de implante de próteses, correção de dentes, arcadas e mandíbula; cirurgiões bucais: reabilitam o tecido ósseo ou o mole, tratam de cistos, fraturas, tumores, gengivas e glândulas salivares; endodontistas: cuidam das complicações da polpa do dente, ou seja, de suas estruturas internas, como o tratamento de canais; implantodontistas: realizam todo tipo de implante dentário; odontologistas legais: fornecem laudos em ações judiciais; odontologistas preventivos e sociais: cuidam da saúde bucal da população de maneira preventiva;  odontopediatras: tratam da higiene e saúde bucal das crianças durante a primeira dentição; ortodontistas: ocupam-se da correção, por meio de aparelhos dentários, de defeitos na arcada dentária e do mau funcionamento da função neuromuscular; patologistas orais: estudam a origem, a natureza e os sintomas das doenças da boca através de exames laboratoriais; periodontistas: cuidam das enfermidades da gengiva, podendo realizar cirurgias e curetagens nos tecidos ósseos e gengivais. Odontologia Estética: trata da estética bucal, faz restauração de imperfeições anatômicas dentárias, gengivais, etc. Como: clareamento dentário, diminuição ou aumento da gengiva, facetas laminadas de porcelana e resina acrílica e outros.

Mercado de trabalho

O mercado de trabalho para os dentistas é muito concorrido nos grandes centros, mas apresenta boas oportunidades no interior do país. Para os profissionais que pretendem instalar-se no interior, a oferta de emprego é maior nas prefeituras, que expandem seus serviços em hospitais municipais e escolas públicas. No setor privado, os profissionais encontram ótimas oportunidades quando possuem um consultório próprio, porém há também boas opções fora de um consultório: magistério, administração de planos de saúde, planejamento de saúde oral no setor público, consultoria na indústria odontológica e na farmacêutica.

Curiosidades

A história da Odontologia, em seus primórdios, foi intimamente ligada à história da medicina, isso porque a parte odontológica era considerada uma parte, um aspecto da medicina. O homem lutava contra as doenças e para ele existia apenas um grande drama: a dor e o medo.No entanto, a evolução dos conhecimentos permitia logo, uma diferenciação. Aos poucos, foram sendo isolados os conhecimentos relativos à Odontologia, os quais, por fim, possibilitaram criação de algo e específico. A história do tratamento dentário é antiga, há registros que em 5000 a.C. gregos, romanos, sumérios e egípcios já se conheciam algumas causas das dores nos dentes. No início, quem fazia esse trabalho eram barbeiros ou ambulantes, em lugares mal higienizados e precários. A odontologia, como ciência, começou sendo ligada com a medicina, mas devido a evolução das técnicas na área, foi permitida a diferenciação entre as duas ciências. No século 18, o francês Pierre Fauchard, considerado pai da odontologia, inovou ao inventar o “pivot” e no desenvolvimento das dentaduras. A primeira escola dentária foi fundada em 1840, em Baltimore, nos EUA.

No Brasil a criação de cursos odontológicos se deu em 1884, nas Faculdades de Medicina do Rio de Janeiro e da Bahia. Hoje a odontologia é dividida em muitas especialidades, como a periodontia, ortodontia, odontopediatria e a dentística.  Mas não parou por aí; há ainda um movimento contínuo no sentido de renovação. A evolução do pensamento odontológico, entretanto, não se deu em uma marcha constante e uniforme no sentido do progresso. Essa marca sofreu muitas interferências, foi poderosamente auxiliada por recursos. Os conhecimentos odontológicos são, então de várias origens, remotas origens. Sendo assim, não há uma verdade moderna absoluta como também não existe uma sabedoria absoluta. Pode-se afirmar que “a Odontologia é um lento, contínuo suceder-se de fatos, de realizações, influenciados sempre pelos acontecimentos anteriores”. Se ela pode ser definida assim, antevê-se a grande importância da sua evolução histórica, permitindo-lhe tornar-se uma ciência de ideias e fatos. A história da odontologia revelou-se, através dos tempos, ser ela uma ciência experimental, no sentido filosófico. As ideias foram selecionadas. O mesmo se deu com os acontecimentos, com as coisas e pessoas. Como resultado decorreram as leis que possibilitaram o desenvolvimento do pensamento odontológico.

Comentários:

+ Lidas

Nossas notícias no celular

Receba as notícias do Semanário ZN no seu app favorito de mensagens.

Telegram
Whatsapp
Entrar
Anunciante 039

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!