SEMANÁRIO ZONA NORTE - JORNAL DE MAIOR CIRCULAÇÃO NA ZONA NORTE

Serenidade

Ser sereno é ser tranquilo e calmo perante as adversidades e dificuldades que enfrentamos, é estar em equilíbrio harmônico consigo e assim por consequência com o mundo que nos cerca.

Será que conseguimos ser ou estar sereno nos dias de hoje?

Sabemos que é muito difícil, mas está na dificuldade o impulso e motivação que nos levará ao sucesso mesmo com os fracassos, o que não devemos é desistir. Vou focar na questão da autoaceitação.

Quando aceitamos uma situação, pessoa ou fato, não quer dizer que estamos cedendo, sendo inferiores, ou desistindo dos projetos ou da nossa existência, e sim fortalecendo a base da nossa construção.

Para melhorarmos e evoluirmos precisamos aceitar, pois somente nos aceitando podemos nos transformar.

Toda aceitação serve de experiência e adaptação a novas situações. Aceitar não é se acomodar, mas servir de alicerce para as mudanças e amadurecimento constantes.

Precisamos aceitar os lutos, perdas materiais e emocionais, as doenças, a ingratidão, nos perdoando e perdoando o outro, não se esquecendo da justiça.

Somente se aceita quem é forte e tem fé em si mesmo, com sabedoria e humildade.  Controlamos muito pouco, e quem é controlador sofre mais, por ser inseguro, possessivo, autoritário e não se aceitar.

Mudamos na existência, mas não na essência, tenhamos mais responsabilidades e menos culpas, não tomemos veneno achando que outro será atingido. Aceitar para mudar melhorando e se adaptando a realidade, gera paz, saúde e amor.

Aceitar é estar lúcido das causas e consequências, amplificando as situações para encará-las e resolvê-las.

Aceitação gera movimento e não estagnação ou resistência a mudanças, expandindo nossa consciência existencial, abrindo caminhos, é estar presente no presente.

Jung diz: Não há despertar de consciência sem dor.

As pessoas farão de tudo, chegando aos limites do absurdo para evitar enfrentar sua própria alma. Ninguém se torna iluminado por imaginar figuras de luz, mas por tornar consciente a escuridão.

Oração da serenidade

Concedei-me a serenidade necessária para aceitar as coisas que não posso modificar.

Coragem para modificar aquelas que posso.

Sabedoria para perceber a diferença entre elas.

Precisamos viver um dia de cada vez, com menos ansiedade e sofrimentos desnecessários. Confiando nos seus potenciais e melhorando seu amor próprio, que é construído dentro de nós.

A felicidade é efêmera, mas o amor é eterno.

* Psicólogo de orientação Junguiana.

Blog: psicologiaemartigos.blogspot.com.br

  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Serenidade

Ser sereno é ser tranquilo e calmo perante as adversidades e dificuldades que enfrentamos, é estar em equilíbrio harmônico consigo e assim por consequência com o mundo que nos cerca.

Será que conseguimos ser ou estar sereno nos dias de hoje?

Sabemos que é muito difícil, mas está na dificuldade o impulso e motivação que nos levará ao sucesso mesmo com os fracassos, o que não devemos é desistir. Vou focar na questão da autoaceitação.

Quando aceitamos uma situação, pessoa ou fato, não quer dizer que estamos cedendo, sendo inferiores, ou desistindo dos projetos ou da nossa existência, e sim fortalecendo a base da nossa construção.

Para melhorarmos e evoluirmos precisamos aceitar, pois somente nos aceitando podemos nos transformar.

Toda aceitação serve de experiência e adaptação a novas situações. Aceitar não é se acomodar, mas servir de alicerce para as mudanças e amadurecimento constantes.

Precisamos aceitar os lutos, perdas materiais e emocionais, as doenças, a ingratidão, nos perdoando e perdoando o outro, não se esquecendo da justiça.

Somente se aceita quem é forte e tem fé em si mesmo, com sabedoria e humildade.  Controlamos muito pouco, e quem é controlador sofre mais, por ser inseguro, possessivo, autoritário e não se aceitar.

Mudamos na existência, mas não na essência, tenhamos mais responsabilidades e menos culpas, não tomemos veneno achando que outro será atingido. Aceitar para mudar melhorando e se adaptando a realidade, gera paz, saúde e amor.

Aceitar é estar lúcido das causas e consequências, amplificando as situações para encará-las e resolvê-las.

Aceitação gera movimento e não estagnação ou resistência a mudanças, expandindo nossa consciência existencial, abrindo caminhos, é estar presente no presente.

Jung diz: Não há despertar de consciência sem dor.

As pessoas farão de tudo, chegando aos limites do absurdo para evitar enfrentar sua própria alma. Ninguém se torna iluminado por imaginar figuras de luz, mas por tornar consciente a escuridão.

Oração da serenidade

Concedei-me a serenidade necessária para aceitar as coisas que não posso modificar.

Coragem para modificar aquelas que posso.

Sabedoria para perceber a diferença entre elas.

Precisamos viver um dia de cada vez, com menos ansiedade e sofrimentos desnecessários. Confiando nos seus potenciais e melhorando seu amor próprio, que é construído dentro de nós.

A felicidade é efêmera, mas o amor é eterno.

* Psicólogo de orientação Junguiana.

Blog: psicologiaemartigos.blogspot.com.br

Publicidade