SEMANÁRIO ZONA NORTE - JORNAL DE MAIOR CIRCULAÇÃO NA ZONA NORTE

Semanário da Zona Norte entrevista o governador Márcio França na sede do Governo do Estado

A visita mostrou a força do veículo e a credibilidade conquistada em mais de 19 anos de atuação

 

Sempre pioneiro em suas ações na Zona Norte, o Semanário realizou na tarde do dia 3, quarta-feira, na sede do Governo do Estado de São Paulo, uma entrevista exclusiva com o atual governador, Márcio França.

Durante o bate-papo, o chefe do Executivo paulista ressaltou a importância das redes sociais na vida das pessoas, e que este hábito mudou a comunicação nos dias de hoje, salientando que “atualmente, cada jovem, cada usuário tem o seu próprio canal, sua própria página, e muitos deles (anônimos), têm mais seguidores do que pessoas famosas, fazendo com que se mudem todos os hábitos de comunicação. Esta certamente foi a maior revolução deste século e seguramente irá influenciar nos avanços da humanidade”, disse.

Segundo dados do Suplemento de Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC), no Brasil há 78,3 milhões de pessoas nas redes sociais, ou seja, 79% de sua base de usuários da internet.

O brasileiro, em média, fica 5:26 horas por dia conectado à internet; gasta 3:47 horas com acesso móvel; gasta também 3:47 horas com acesso a redes sociais (via mobile ou fixo); e consome 2:49 horas na TV. Dados que ressaltam que a internet está cada vez mais presente na vida das pessoas.

Para o governador Márcio França, o combate às notícias falsas é o grande objetivo a ser conquistado. “Temos tentado criar regulamentações para evitar este tipo de situação, pois quem cria as “Fake News”, geralmente fica escondido atrás de uma falsa identidade, porém isso é um grande engano, pois se apurarmos a veracidade destas informações, o nome do usuário está lá, por isso, temos que conscientizar as pessoas, que as notícias na internet devem ser traduzidas como as notícias que são inseridas em um veículo impresso. Uma vez publicadas, não podemos alterá-las. E após isso, é preciso arcar com as consequências, quaisquer sejam elas”, frisou.

No Brasil ainda não há uma legislação específica sobre o assunto, porém já há um conselho consultivo com o objetivo de sugerir a sua criação, pois há uma inquietação na sociedade, sobre o limite tênue entre o que é falso e o que é liberdade de expressão, principalmente no que tange à honra das pessoas atingidas.

Outro fato levantado pelo governador foi sobre o formato dos veículos, e da forma que eles se apresentam para os usuários. “Quando você pega um jornal, e vê a assinatura do responsável, isso te dá credibilidade, torna o veículo uma referência no pensamento transmitido, ao contrário da internet, que possibilita a criação de perfis falsos e da pulverização de informações errôneas. É preciso analisar o que deve ser compartilhado para que possamos evitar inúmeras situações”.

Segundo estimativa da PSafe, empresa do ramo de internet, 8,8 milhões de pessoas no Brasil teriam sido impactadas por Fake News nos três primeiros meses deste ano. Deste montante, 96% são compartilhadas via WhastApp.

Para o governador Márcio França, “os jornais de bairro são extremamente importantes, principalmente em locais periféricos e nas cidades do interior, onde a circulação destes acaba sendo maior que os jornais da chamada “grande mídia”, pois a forma diferenciada de distribuição os beneficia. As pessoas recebem em casa, e acabam visualizando as melhorias, ou situações dos seus respectivos locais de moradia, inserindo-as no conteúdo e consequentemente atraindo-as na leitura da matéria, pois elas se sentem inseridas. Além disso, os grandes jornais são vendidos em bancas, e é preciso se locomover até o local de compra. A internet aproximou isso também, pois através de um aparelho celular, computador ou tablet, o usuário já pode acessar o seu portal de notícias favorito e ler o seu respectivo conteúdo”.

Para a coronel PM, Helena dos Santos Reis, chefe da Casa Militar, a entrada do Semanário nas redes sociais retrata a evolução do veículo, além disso, mostra a importância do mesmo na região. “O profissionalismo do veículo faz com que ele tenha credibilidade e respeito”, finaliza.

Segundo dados da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da USP, há 86 jornais de bairro em atividade em São Paulo. Juntos, eles somam uma tiragem de 1,2 milhão de exemplares semanais, sendo 760 mil de tiragem quinzenal e 232 mil de tiragem mensal além dos semanais, sendo eles, em sua grande maioria, gratuitos.

O Semanário realiza a entrega de 20 mil exemplares semanalmente, sendo distribuídos em 82 bairros da Zona Norte, como Santana, Tucuruvi, Jaçanã, Vila Maria, Vila Guilherme, Parada Inglesa, Imirim, Limão, Freguesia do Ó, Cachoerinha, entre outros.

Para o diretor do Semanário da Zona Norte, João Carlos Dias, “os jornais de bairro são extremamente importantes para a nossa comunidade, independente de seu porte ou quantidade de exemplares, mas sim, da maneira que são distribuídos. Além disso, os veículos de comunicação tradicionais atingem um público macro, e os jornais de bairro atingem um público micro, fiel, que atua junto, enviando suas demandas, mostrando as suas necessidades. E é aí, que entra o nosso jornal, que leva estes casos até às autoridades competentes. Com o advento das redes sociais, temos tido uma grande aceitação por parte dos nossos leitores e anunciantes, mostrando que o veículo continua sendo uma referência na Zona Norte”.

Sobre a exclusividade da entrevista realizada pelo Semanário, João Carlos é só elogios a toda a conduta realizada pelo atual governador. “Ficamos satisfeitos, orgulhosos e muito lisonjeados de sermos recebidos no Gabinete do Governador do Estado de São Paulo, Márcio França, uma pessoa íntegra, a qual temos um enorme carinho, não só pelo tratamento dispensado à nós, mas também, a sua maneira e no trato aos seus funcionários, amigos e população em geral. Temos que salientar também a ótima receptividade realizada pela coronel PM,  Helena dos Santos Reis que em seu depoimento salientou a importância do nosso noticiário na região norte”.

  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Semanário da Zona Norte entrevista o governador Márcio França na sede do Governo do Estado

 

Sempre pioneiro em suas ações na Zona Norte, o Semanário realizou na tarde do dia 3, quarta-feira, na sede do Governo do Estado de São Paulo, uma entrevista exclusiva com o atual governador, Márcio França.

Durante o bate-papo, o chefe do Executivo paulista ressaltou a importância das redes sociais na vida das pessoas, e que este hábito mudou a comunicação nos dias de hoje, salientando que “atualmente, cada jovem, cada usuário tem o seu próprio canal, sua própria página, e muitos deles (anônimos), têm mais seguidores do que pessoas famosas, fazendo com que se mudem todos os hábitos de comunicação. Esta certamente foi a maior revolução deste século e seguramente irá influenciar nos avanços da humanidade”, disse.

Segundo dados do Suplemento de Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC), no Brasil há 78,3 milhões de pessoas nas redes sociais, ou seja, 79% de sua base de usuários da internet.

O brasileiro, em média, fica 5:26 horas por dia conectado à internet; gasta 3:47 horas com acesso móvel; gasta também 3:47 horas com acesso a redes sociais (via mobile ou fixo); e consome 2:49 horas na TV. Dados que ressaltam que a internet está cada vez mais presente na vida das pessoas.

Para o governador Márcio França, o combate às notícias falsas é o grande objetivo a ser conquistado. “Temos tentado criar regulamentações para evitar este tipo de situação, pois quem cria as “Fake News”, geralmente fica escondido atrás de uma falsa identidade, porém isso é um grande engano, pois se apurarmos a veracidade destas informações, o nome do usuário está lá, por isso, temos que conscientizar as pessoas, que as notícias na internet devem ser traduzidas como as notícias que são inseridas em um veículo impresso. Uma vez publicadas, não podemos alterá-las. E após isso, é preciso arcar com as consequências, quaisquer sejam elas”, frisou.

No Brasil ainda não há uma legislação específica sobre o assunto, porém já há um conselho consultivo com o objetivo de sugerir a sua criação, pois há uma inquietação na sociedade, sobre o limite tênue entre o que é falso e o que é liberdade de expressão, principalmente no que tange à honra das pessoas atingidas.

Outro fato levantado pelo governador foi sobre o formato dos veículos, e da forma que eles se apresentam para os usuários. “Quando você pega um jornal, e vê a assinatura do responsável, isso te dá credibilidade, torna o veículo uma referência no pensamento transmitido, ao contrário da internet, que possibilita a criação de perfis falsos e da pulverização de informações errôneas. É preciso analisar o que deve ser compartilhado para que possamos evitar inúmeras situações”.

Segundo estimativa da PSafe, empresa do ramo de internet, 8,8 milhões de pessoas no Brasil teriam sido impactadas por Fake News nos três primeiros meses deste ano. Deste montante, 96% são compartilhadas via WhastApp.

Para o governador Márcio França, “os jornais de bairro são extremamente importantes, principalmente em locais periféricos e nas cidades do interior, onde a circulação destes acaba sendo maior que os jornais da chamada “grande mídia”, pois a forma diferenciada de distribuição os beneficia. As pessoas recebem em casa, e acabam visualizando as melhorias, ou situações dos seus respectivos locais de moradia, inserindo-as no conteúdo e consequentemente atraindo-as na leitura da matéria, pois elas se sentem inseridas. Além disso, os grandes jornais são vendidos em bancas, e é preciso se locomover até o local de compra. A internet aproximou isso também, pois através de um aparelho celular, computador ou tablet, o usuário já pode acessar o seu portal de notícias favorito e ler o seu respectivo conteúdo”.

Para a coronel PM, Helena dos Santos Reis, chefe da Casa Militar, a entrada do Semanário nas redes sociais retrata a evolução do veículo, além disso, mostra a importância do mesmo na região. “O profissionalismo do veículo faz com que ele tenha credibilidade e respeito”, finaliza.

Segundo dados da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da USP, há 86 jornais de bairro em atividade em São Paulo. Juntos, eles somam uma tiragem de 1,2 milhão de exemplares semanais, sendo 760 mil de tiragem quinzenal e 232 mil de tiragem mensal além dos semanais, sendo eles, em sua grande maioria, gratuitos.

O Semanário realiza a entrega de 20 mil exemplares semanalmente, sendo distribuídos em 82 bairros da Zona Norte, como Santana, Tucuruvi, Jaçanã, Vila Maria, Vila Guilherme, Parada Inglesa, Imirim, Limão, Freguesia do Ó, Cachoerinha, entre outros.

Para o diretor do Semanário da Zona Norte, João Carlos Dias, “os jornais de bairro são extremamente importantes para a nossa comunidade, independente de seu porte ou quantidade de exemplares, mas sim, da maneira que são distribuídos. Além disso, os veículos de comunicação tradicionais atingem um público macro, e os jornais de bairro atingem um público micro, fiel, que atua junto, enviando suas demandas, mostrando as suas necessidades. E é aí, que entra o nosso jornal, que leva estes casos até às autoridades competentes. Com o advento das redes sociais, temos tido uma grande aceitação por parte dos nossos leitores e anunciantes, mostrando que o veículo continua sendo uma referência na Zona Norte”.

Sobre a exclusividade da entrevista realizada pelo Semanário, João Carlos é só elogios a toda a conduta realizada pelo atual governador. “Ficamos satisfeitos, orgulhosos e muito lisonjeados de sermos recebidos no Gabinete do Governador do Estado de São Paulo, Márcio França, uma pessoa íntegra, a qual temos um enorme carinho, não só pelo tratamento dispensado à nós, mas também, a sua maneira e no trato aos seus funcionários, amigos e população em geral. Temos que salientar também a ótima receptividade realizada pela coronel PM,  Helena dos Santos Reis que em seu depoimento salientou a importância do nosso noticiário na região norte”.

Publicidade