SEMANÁRIO ZONA NORTE - JORNAL DE MAIOR CIRCULAÇÃO NA ZONA NORTE

Pobres crianças

Idade é uma contingência que pode ser encarada de muitas formas

As vezes me apiedo das crianças de hoje. Em 2030, haverá no Brasil mais idosos do que jovens. As crianças de hoje terão de se encarregar da velhice. Não é uma tarefa muito fácil. Mas anima-me a certeza de que elas darão conta. Basta investir numa educação consistente, lembrar ao jovem que o problema da juventude o tempo resolve. E que ficar velho é melhor do que a alternativa: morrer moço.

Vejo que hoje o conceito de velhice é outro. Idade é uma contingência que pode ser encarada de muitas formas. Convivo com pessoas mais idosas do que eu e com outras que têm décadas menos. Procuro me situar e aprender com todas as idades.

Animo-me com gestos como o de Abilio Diniz que, aos 81, lança plataforma digital gratuita para garantir longevidade com bem-estar. Sua ideia é agrupar no espaço pesquisas e projetos amparados em evidência científica, além de narrar sua experiência pessoal, sem desprezar a de outros indivíduos e organizações interessadas no envelhecimento.

Para Abílio, “envelhecer é uma certeza; envelhecer com qualidade é uma escolha. Para isso, você tem que começar a se preparar antes”. Ele diz ter começado aos 29 anos e espera viver mais 20 ou 30.

A plataforma www.plenae.com tem seis pilares: 1. Corpo: sono, alimentação, exercícios; 2. Mente: estresse, aprendizagem; 3. Relações: família, comunidade; 4. Espírito: fé e meditação; 5. Contexto: renda, educação; 6. Propósito: sentido de vida.   

Dentre os seis pilares, escolhe a alimentação como o aspecto mais importante para se chegar a uma idade avançada e fisicamente bem, além de estar com a cabeça em ordem. Comer pouco é a receita fundamental. Consumir apenas o que será queimado. Com a chegada dos anos, comer ainda menos.

Atividade física é também essencial. Não é preciso competir. Mas é necessário o exercício de fortalecimento. Principalmente dos músculos das pernas. Pouca gente cuida de evitar as piores consequências da sarcopenia, a morte das células que compõem os músculos. Ela é infalível, mas seus efeitos podem ser amenizados com exercícios constantes.

Outro conselho do Abílio é cuidar de não cair. As quedas, para os idosos, são fatais. Comendo pouco, caminhando muito, não caindo, olhando a vida com amor e tendo fé, não é impossível chegar ao centenário.

José Renato Nalini -  * Reitor da Uniregistral, docente universitário, palestrante e conferencista.   

  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Pobres crianças

As vezes me apiedo das crianças de hoje. Em 2030, haverá no Brasil mais idosos do que jovens. As crianças de hoje terão de se encarregar da velhice. Não é uma tarefa muito fácil. Mas anima-me a certeza de que elas darão conta. Basta investir numa educação consistente, lembrar ao jovem que o problema da juventude o tempo resolve. E que ficar velho é melhor do que a alternativa: morrer moço.

Vejo que hoje o conceito de velhice é outro. Idade é uma contingência que pode ser encarada de muitas formas. Convivo com pessoas mais idosas do que eu e com outras que têm décadas menos. Procuro me situar e aprender com todas as idades.

Animo-me com gestos como o de Abilio Diniz que, aos 81, lança plataforma digital gratuita para garantir longevidade com bem-estar. Sua ideia é agrupar no espaço pesquisas e projetos amparados em evidência científica, além de narrar sua experiência pessoal, sem desprezar a de outros indivíduos e organizações interessadas no envelhecimento.

Para Abílio, “envelhecer é uma certeza; envelhecer com qualidade é uma escolha. Para isso, você tem que começar a se preparar antes”. Ele diz ter começado aos 29 anos e espera viver mais 20 ou 30.

A plataforma www.plenae.com tem seis pilares: 1. Corpo: sono, alimentação, exercícios; 2. Mente: estresse, aprendizagem; 3. Relações: família, comunidade; 4. Espírito: fé e meditação; 5. Contexto: renda, educação; 6. Propósito: sentido de vida.   

Dentre os seis pilares, escolhe a alimentação como o aspecto mais importante para se chegar a uma idade avançada e fisicamente bem, além de estar com a cabeça em ordem. Comer pouco é a receita fundamental. Consumir apenas o que será queimado. Com a chegada dos anos, comer ainda menos.

Atividade física é também essencial. Não é preciso competir. Mas é necessário o exercício de fortalecimento. Principalmente dos músculos das pernas. Pouca gente cuida de evitar as piores consequências da sarcopenia, a morte das células que compõem os músculos. Ela é infalível, mas seus efeitos podem ser amenizados com exercícios constantes.

Outro conselho do Abílio é cuidar de não cair. As quedas, para os idosos, são fatais. Comendo pouco, caminhando muito, não caindo, olhando a vida com amor e tendo fé, não é impossível chegar ao centenário.

José Renato Nalini -  * Reitor da Uniregistral, docente universitário, palestrante e conferencista.   

Publicidade