SEMANÁRIO ZONA NORTE - JORNAL DE MAIOR CIRCULAÇÃO NA ZONA NORTE

Notícias Visita

Ex-comandante geral da Polícia Militar de São Paulo visita o jornal Semanário da Zona Norte

Na quarta-feira, dia 25 de agosto

Ex-comandante geral  da Polícia Militar de São Paulo visita o jornal Semanário da  Zona Norte
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Na quarta-feira, dia 25 de agosto, o Semanário da Zona Norte recebeu a visita do ex-comandante-geral da Polícia Militar do Estado de São Paulo nos anos de 1986-1987, cel. PM Theseo Darcy Bueno de Toledo. Ele foi recebido pelo diretor João Carlos Dias.

Na ocasião, o ex- comandante entregou uma carta destacando a Diretriz Geral PM nº 001/01/86, implantada em sua gestão. O documento destina-se a orientar o Planejamento Operacional da Corporação para a “Defesa e Proteção do Cidadão” em especial a atuação do policial militar.  

Para o cel. PM Theseo, a Polícia Militar de São Paulo passou por diversas reestruturações ao longo dos anos, e de acordo com ele, isso aconteceu graças a uma diretriz geral do Comando.

“ Havíamos passado naquele período de redemocratização do país, depois da Revolução de 64, já decorridos praticamente há 16 anos. Desde então, houve uma mudança na Polícia Militar do Estado de São Paulo muito importante graças a uma diretriz geral do Comando, modificando o enfoque da atuação do  profissional policial militar das suas atividades de segurança pública. Essa mudança  ocorreu em 1986, antes mesmo da Constituição de 1988. E a PMSP foi pioneira neste enfoque de proteger o cidadão”, disse o ex-comandante.

O oficial também comentou sobre a grande missão e os desafios da Polícia Militar naquela época.

 “Houve uma mudança muito grande da época em que iniciei a carreira de policial militar até os dias de hoje. A missão principal da PM é proteger o cidadão. No decorrer desses 40 anos que estou fora da corporação, observamos  que as novas gerações têm noção que a função é justamente essa, ou seja, a proteção do cidadão. É a razão da existência dela. Os desafios são muitos, porém a conquista é maior. Vale muito apena seguir a carreira militar”, afirmou.

Confira na íntegra a carta enviada ao diretor João Carlos. 

Meu prezado amigo João Carlos Dias,

Há algum tempo que não tenho a oportunidade de encontrá-lo pessoalmente, consequência natural do distanciamento que a própria vida às vezes nos impõe, como agora acontece em razão da Covid-19.

Estamos todos nos distanciando dos amigos e até de nosso familiares mais próximos.

Hoje, “decano” dos ex-Comandantes Gerais e quase “nonagenário”, tenho ainda por hábito

aos finais de semana, proceder à leitura de um matutino qualquer, mas também, obrigatoriedade do “Semanário da Zona Norte”,  onde me encontro” com o prezado  amigo e faço o meu “passeio” cada vez mais distante, onde encontro alívio e até um profundo sentimento do dever cumprido.

Em cinco de maio de 1986, a Instituição Polícia Militar do Estado de São Paulo, foi surpreendida com a aprovação pela Comissão de Estudos Constitucionais, instalada pelo Governo Sarney e constituída por 50 (cinquenta) NOTÁVEIS, dentre eles, muitos de ideologia contrária à democracia que então se pretendia para o Brasil,  com PROPOSTA já concluída de uma Constituição para o País. A proposta aprovada descaracterizava e mutilava as Corporações Policiais Militares do Brasil, que ficariam reduzidas apenas às funções de “tropa de Choque”, para o controle de distúrbios civis e “Corpos de Bombeiros Militares”, para prevenção e extinção de incêndios e de atividade de defesa civil.

Vivíamos naquele período de transição democrática dos anos 80, da “anistia ampla, geral e irrestrita”, das “diretas já”, do “ranço aos militares”, do “revanchismo”, da ”abertura democrática”, e por fim das “tentativas de extinção dos Policiais Militares do Brasil”.

Foi então que através da DIRETRIZ GERL PM Nº 001/01/86, o Comandante-Geral da Polícia Militar do Estado de São Paulo, implantou novas normas pertinentes, destinadas a orientar o Planejamento Operacional da Corporação para a “Defesa e Proteção do Cidadão” e para o “Atendimento das Necessidades e Anseios da Comunidade”.

O opúsculo denominado “Polícia e Democracia” e seus pressupostos, que contém em seu interior a própria DIRETRIZ GERL PM Nº 001/01/86, teve, por finalidade a Orientação do Planejamento e das Decisões dos órgãos de Direção, Apoio e Execução da Corporação, com vistas ao compromisso do seu aperfeiçoamento operacional.

Decorridos, portanto, 35 (trinta e cinco) anos daqueles momentos difíceis da vida Institucional da Corporação, com ameaças e desafios de toda ordem, VERIFICO com orgulho do dever cumprido, que a grande mudança foi implantada pelas gerações que se sucederam ao longo de todos esses anos.

A simples leitura do próprio enunciado do Artigo 144, da Constituição da República Federativa do Brasil , promulgada em 05 de outubro de 1988, conceituou a “Segurança Pública” como “Dever do estado, Direito e Responsabilidade de Todos, exercido para a preservação da Ordem Pública e da Incolumidade das Pessoas e do Patrimônio”.

A nova política implantada pela DIRETRIZ GERL PM Nº 001/01/86, em AGOSTO DE 1986, em seu PLANEJAMENTO, faz também a seguinte determinação para o campo operacional:

1)            Direcionar o Policiamento fardado urbano para defesa e segurança do cidadão e para o atendimento das necessidades e anseios das comunidades.

Uma simples comparação com o enunciado de “Segurança Pública” do dispositivo Constitucional e do “enunciado operacional” da implantação de uma nova Política de Comando, alicerçada também na proteção do cidadão para as suas necessidades, ambos demonstram uma  grande semelhança na objetividade do tema e que a Polícia Militar do Estado de São Paulo, foi a pioneira nessa implantação, mesmo anterior à promulgação da nova Constituição em 05 de outubro de 1988.

A implantação dessa nova Política de Comando, somente foi possível no decorrer dos anos, com constante aprimoramento nos currículos de formação e aperfeiçoamento dos integrantes da Polícia Militar. Atualmente, os Manuais  de Fundamentos para o Ensino na Corporação, são revistos e atualizados periodicamente, de modo a permitir ao Polícia Militar sua perfeita interação nas diversas modalidades de policiamento executados pela Instituição.

Portanto, querido amigo João Carlos, ao finalizar essa longa mas importante explanação, desejo-lhe antecipadamente, agradecer a oportunidade desse reencontro e se houver algum interesse de sua parte, sugiro a divulgação de matéria comemorativa dos 35 (trinta e cinco) anos da implantação na Polícia Militar do Estado de São Paulo, dessa nova Política de Comando implantada, com ênfase, para a proteção e segurança do cidadão e ao atendimento das necessidades e anseios da comunidade.

São Paulo, 25 de agosto de 2021.

THESEO DARCY BUENO DE TOLEDO

Cel. PM Ex-Cmt. Geral

1986-1987

 

Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!