SEMANÁRIO ZONA NORTE - JORNAL DE MAIOR CIRCULAÇÃO NA ZONA NORTE

Notícias Curiosidades

Dia do Meteorologista-23 de março

Em todas as atividades que fazem parte do nosso cotidiano existe a influência das condições do tempo.

Dia do Meteorologista-23 de março
Imagens
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Em todas as atividades que fazem parte do nosso cotidiano existe a influência das condições do tempo. É só pensar nas nossas viagens (terrestres, aéreas e marítimas), no plantio e na colheita, em todas as nossas atividades ao ar livre. Nesses momentos, a gente nem lembra que existe um monte de técnicos altamente especializados, observadores e cientistas que, apoiados pela moderna tecnologia, trabalham dia e noite para pesquisar e prever as condições do tempo que vamos enfrentar. E que este serviço muitas vezes tem salvado vidas, quando prevê por exemplo as nevascas e os tornados. A meteorologia é o estudo científico da atmosfera em escala global, dentro de regiões e em localidades específicas, e a formulação de conclusões que permitem o conhecimento sobre os fenômenos atmosféricos e as previsões sobre o tempo. Em 23 de março comemora-se o Dia do Meteorologista.

Meteorologista

O meteorologista é o profissional que estuda as ciências atmosféricas e aplica a meteorologia à diversas outras ciências e a situações do cotidiano. O profissional dessa ciência é responsável pelo estudo das condições climáticas e análise de dados como chuvas, umidade, ventos, correntes de ar e marítimas, mudanças de clima, movimentos atmosféricos, amplitudes térmicas, etc. Com tais informações o meteorologista pode prever as condições climáticas em todas as regiões do país. O meteorologista utiliza artifícios como imagens de satélites e radares, além de analisar gráficos e mapas. A ciência meteorológica é indispensável para muitos setores da economia, como por exemplo, o setor agropecuário, que depende diretamente das condições climáticas.

Características necessárias

Para ser um meteorologista é necessário que o profissional entenda e goste das ciências geográficas. Conhecimentos de física, química e biologia, adquiridos durante o curso, também são muito usados na área. Outras características necessárias são: dinamismo; responsabilidade; capacidade de organização; noção de movimentos atmosféricos; capacidade de observação; boa visão; facilidade de entender fenômenos físicos, químicos e biológicos.

Formação necessária

Para ser um meteorologista é necessário diploma de curso superior de graduação em Meteorologia. O curso tem duração média de quatro anos, e engloba, nos dois primeiros anos, matérias mais básicas incluindo matemática, física, química e meteorologia básica. Nos dois últimos anos do curso, a meteorologia é aplicada na prática, e matérias mais técnicas como climatologia, micrometeorologia, agrometeorologia, meteorologia física, sinótica e dinâmica, sensoriamento remoto, etc. Existe também a opção de curso técnico em meteorologia, com duração média de três semestres, que, apesar de não ser tão completo e específico como o curso superior, também habilita os alunos a trabalharem com a meteorologia.

Principais atividades

Suas principais atividade são: analisar imagens atmosféricas capturadas via satélite; acompanhar os movimentos atmosféricos por equipamentos especializados; recolher dados como temperatura, ventos, chuvas, umidade, correntes marítimas e de ar, e analisá-los, de modo a conseguir prever as características climáticas em todas as regiões; aplicar os resultados das previsões climáticas de curto e longo prazo nas diversas áreas, como na agrometeorologia, que aplica esses resultados para calcular as épocas de colheita e plantio, bem como a dimensão das safras ou na política social, que aplica esses resultados no sentido de prever as chuvas mais fortes e possibilidades de enchentes ou catástrofes naturais; pode trabalhar com a meteorologia ambiental, pesquisando e aplicando técnicas para tentar diminuir a poluição atmosférica.

Áreas de atuação e especialidades

Agrometeorologia: trabalha com a aplicação dos resultados das previsões meteorológicas no setor agropecuário, com o objetivo de calcular épocas de colheita e plantio, além de dimensionar o volume das safras;

Sensoriamento remoto: trabalha com equipamentos como radar e satélite para detectar chuvas, queimadas, chuvas de granizo e geadas;

Previsão atmosférica: analisa os dados e prevê as condições climáticas a curto prazo.

Meteorologia ambiental: trabalha com o desenvolvimento e a aplicação de técnicas com objetivo de diminuir a poluição atmosférica

Radiometeorologia: trabalha com a influência meteorológica nas transmissões de sistemas de rádio e televisão;

Meteorologia aeronáutica e marinha: trabalha com a análise do comportamento dos ventos, da pressão atmosférica, dos rios e mares, para determinar as condições de tráfego aéreo e marítimo;

Climatologia: estuda o comportamento do clima e suas mudanças nas mais diversas regiões;

Hidrometeorologia: estuda o ciclo da água, o comportamento das chuvas e das águas dos rios. Controla os índices pluviométricos e os estuda, além de elaborar projetos de escoamento de água das chuvas;

Biometeorologia: trabalha a interação entre seres vivos e atmosfera e seus efeitos no meio ambiente;

Química atmosférica: estuda os componentes presentes na atmosfera, analisa sua procedência e seus efeitos;

Paleoclimatologia: estudo do clima no passado próximo ou remoto.

Mercado de trabalho

O mercado de trabalho para o profissional da meteorologia é amplo, e tende cada vez mais ao crescimento, pois faltam profissionais qualificados para trabalhar nos sistemas públicos de meteorologia. A área de pesquisa é a que mais cresce e emprega, principalmente agora que a preocupação com o aquecimento global é foco de muitas discussões. Esse profissional pode também trabalhar em centros de previsão públicos ou privados, empresas de consultoria técnica, empresas de instrumentação meteorológica, etc.

Curiosidades

A primeira obra sobre meteorologia da humanidade foi escrita em 3.000 a.C. pelo chinês Nei Tsing Sou Wen. Em 300 a.C. o filósofo Theophraste publica “Os sinais do tempo”, o primeiro livro de previsões da Europa. Mas foi durante a renascença que a meteorologia progrediu muito, pois em 1607, Galileu Galilei construiu o primeiro termoscópio (antecessor do termômetro), instrumento que permitia que os estudiosos pudessem perceber com mais clareza as mudanças no clima. Um contemporâneo de Galileu, Torricelli, desenvolveu o barômetro, aparelho que mede a pressão atmosférica. Em 1648, Pascal desenvolve a teoria de que a pressão diminui com a altitude e por tal razão haveria vácuo na atmosfera. A partir de então, muitos grandes inventos e ideias foram surgindo, e a meteorologia evoluiu muito. A Organização Meteorológica Mundial surgiu em 1951, por determinação da ONU, para substituir a Organização Meteorológica Internacional. Nos tempos modernos, com a invenção de muitas tecnologias e os avanços dos sistemas de pesquisa, a meteorologia virou uma ciência muito mais completa e amparada por métodos capazes de realizar medições e detectar movimentos atmosféricos a longa distância.

 

Comentários:

+ Lidas

Nossas notícias no celular

Receba as notícias do Semanário ZN no seu app favorito de mensagens.

Telegram
Whatsapp
Entrar
Anunciante 039

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!