SEMANÁRIO ZONA NORTE - JORNAL DE MAIOR CIRCULAÇÃO NA ZONA NORTE

Dá para ensinar Oratória em UM DIA?

Antes de mais nada, precisamos entender o que é ORATÓRIA!

Antes de mais nada, precisamos entender o que é ORATÓRIA!

Se você acha que é “um bicho de sete cabeças”, engana-se redondamente. Usando a mesma figura de linguagem, é apenas “um bicho de DUAS cabeças”, pois dois elementos a compõem: Eloquência e Retórica.

Eloquência é a parte da Oratória que trata da QUANTIDADE de palavras. É verbosidade, loquacidade, facilidade que certas pessoas têm de falar com fluência, emendando uma palavra a outra, numa sequência quase infinita! Essa riqueza de vocábulos evita o uso das chamadas “muletas verbais”, como “Né”; “Tá”; “OK”; “Entende?” etc.

E o caminho para se obter eloquência é a leitura – atenta – de bons livros, para enriquecer o vocabulário, abastecendo a mente com tantas palavras que, ao faltar uma, haverá outras no “banco de reserva” para substituí-la. Rui Barbosa, só para o termo chicote usou dezoito sinônimos...

Retórica, por sua vez, é “a arte de conduzir as palavras”. Não basta pronunciá-las, soltamente! Isso não é Oratória, cuja finalidade é alcançar o objetivo da comunicação: convencer os ouvintes! A comunicação é uma arma e tem de ser usada com pontaria, para atingir o alvo proposto! Retórica cuida, portanto da QUALIDADE das palavras. Se a Eloquência é abundante em palavras, a Retórica é rica em recursos, tanto verbais quanto físicos e culturais! Entre outros: tom de voz, inflexão, ritmo de fala, entonação sonora, porte, postura, gesticulação, erudição, cultura, domínio do vernáculo. Isso levou o escritor Joseph Conrad a dizer: “Deem-me a palavra certa com o tom de voz exato e eu dominarei o mundo”!

Voltamos à pergunta inicial: DÁ PARA ENSINAR ORATÓRIA EM UM DIA?

A resposta é SIM!

Porque o mais difícil não preciso fazer, que seria ENSINAR A FALAR! Todos já falam! Preciso apenas ensinar a falar corretamente, eliminando vícios e agregando virtudes à comunicação. É como alguém que quisesse aprender a atirar e já tivesse arma e munição. Bastaria ensinar-lhe a fazer pontaria...

Usamos método exclusivo, desenvolvido através da experiência de orador, advogado e professor. Ocorre que TRÊS apenas são os problemas do orador: INIBIÇÃO: o medo de falar em público: DESCONEXÃO: a perda da sequência da fala, o famoso “branco”; e PROLIXIDADE, o uso de muitas palavras para transmitir uma ideia. Nosso método elimina esses três fantasmas, aplicando  “Os três macroprincípios da Comunicação Eficaz”!

Eventual dúvida pode ser sanada na prática: teremos um CURSO DE ORATÓRIA MODERNA no próximo dia 30 de março de 2019, conforme cartaz aqui inserido.

IMPORTANTE: leitores do Semanário da Zona Norte são considerados “conveniados”!

J.B. Oliveira

* Consultor, comunicador, jornalista, palestrante e-mail: jboliveira@jbo.com.br

  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Dá para ensinar Oratória em UM DIA?

Antes de mais nada, precisamos entender o que é ORATÓRIA!

Se você acha que é “um bicho de sete cabeças”, engana-se redondamente. Usando a mesma figura de linguagem, é apenas “um bicho de DUAS cabeças”, pois dois elementos a compõem: Eloquência e Retórica.

Eloquência é a parte da Oratória que trata da QUANTIDADE de palavras. É verbosidade, loquacidade, facilidade que certas pessoas têm de falar com fluência, emendando uma palavra a outra, numa sequência quase infinita! Essa riqueza de vocábulos evita o uso das chamadas “muletas verbais”, como “Né”; “Tá”; “OK”; “Entende?” etc.

E o caminho para se obter eloquência é a leitura – atenta – de bons livros, para enriquecer o vocabulário, abastecendo a mente com tantas palavras que, ao faltar uma, haverá outras no “banco de reserva” para substituí-la. Rui Barbosa, só para o termo chicote usou dezoito sinônimos...

Retórica, por sua vez, é “a arte de conduzir as palavras”. Não basta pronunciá-las, soltamente! Isso não é Oratória, cuja finalidade é alcançar o objetivo da comunicação: convencer os ouvintes! A comunicação é uma arma e tem de ser usada com pontaria, para atingir o alvo proposto! Retórica cuida, portanto da QUALIDADE das palavras. Se a Eloquência é abundante em palavras, a Retórica é rica em recursos, tanto verbais quanto físicos e culturais! Entre outros: tom de voz, inflexão, ritmo de fala, entonação sonora, porte, postura, gesticulação, erudição, cultura, domínio do vernáculo. Isso levou o escritor Joseph Conrad a dizer: “Deem-me a palavra certa com o tom de voz exato e eu dominarei o mundo”!

Voltamos à pergunta inicial: DÁ PARA ENSINAR ORATÓRIA EM UM DIA?

A resposta é SIM!

Porque o mais difícil não preciso fazer, que seria ENSINAR A FALAR! Todos já falam! Preciso apenas ensinar a falar corretamente, eliminando vícios e agregando virtudes à comunicação. É como alguém que quisesse aprender a atirar e já tivesse arma e munição. Bastaria ensinar-lhe a fazer pontaria...

Usamos método exclusivo, desenvolvido através da experiência de orador, advogado e professor. Ocorre que TRÊS apenas são os problemas do orador: INIBIÇÃO: o medo de falar em público: DESCONEXÃO: a perda da sequência da fala, o famoso “branco”; e PROLIXIDADE, o uso de muitas palavras para transmitir uma ideia. Nosso método elimina esses três fantasmas, aplicando  “Os três macroprincípios da Comunicação Eficaz”!

Eventual dúvida pode ser sanada na prática: teremos um CURSO DE ORATÓRIA MODERNA no próximo dia 30 de março de 2019, conforme cartaz aqui inserido.

IMPORTANTE: leitores do Semanário da Zona Norte são considerados “conveniados”!

J.B. Oliveira

* Consultor, comunicador, jornalista, palestrante e-mail: jboliveira@jbo.com.br

Publicidade