SEMANÁRIO ZONA NORTE - JORNAL DE MAIOR CIRCULAÇÃO NA ZONA NORTE

Comando de Policiamento de Área Três divulga os índices criminais dos últimos dois anos

Na tarde de quarta-feira, dia 6 de fevereiro

Na tarde de quarta-feira, dia 6 de fevereiro, o comandante do Policiamento de Área Metropolitana-Três (CPA/M-3), cel. PM Leandro Gomes Santana, visitou o jornal Semanário da Zona Norte para uma conversa informal. Na ocasião, ele falou do balanço de sua gestão nos nove meses à frente do CPA/M-3, da significativa redução nos índices de criminalidade nos últimos dois anos, da importância do Programa Vizinhança Solidária e o fundamental papel das mídias regionais. 

Para o cel. PM Leandro Gomes Santana, a prevenção é fundamental no combate à criminalidade e isso só é possível através do trabalho ostensivo dos policiais militares.

“É um trabalho contínuo dos comandos anteriores que se esforçaram muito, meu compromisso é dar sequência a um trabalho de gestão que vem sendo desenvolvido há anos na instituição, tanto no aspecto operacional como nas melhorias das condições de trabalho dos policiais militares junto à filosofia de comando implementada pelo Comando Geral através do comandante cel. PM Marcelo Vieira Salles. Em relação à área norte, o trabalho tem sido feito na perspectiva do incremento nas ações de polícia preventiva ou seja, o aumento na ostensividade que permita de fato a prevenção ao crime. Os números demonstram uma redução significativa sobretudo nos crimes de roubo e furto. Esses dados mostram que realmente há uma atuação que tem cooperado para a prevenção”.

O comandante do CPA/M-3 também ressaltou a importância do Programa Vizinhança Solidária, principalmente nos pontos mais críticos da cidade.

“O Comando da instituição tem tomado uma série de medidas na sua gestão operacional e elas têm favorecido realmente uma locação da nossa força de trabalho nos pontos mais críticos. Então, é um trabalho conjunto e de inteligência com verificação dos indicadores criminais, ouvindo a sociedade por meio dos Conselhos Comunitários de Segurança, designando a força policial para onde há maior propensão do crime. É muito importante perceber a cooperação da comunidade por meio do Programa Vizinhança Solidária. O programa traz um potencial de orientação para o patrulhamento que favorece muito o ganho na prevenção, porque o policial em contato direto com  a comunidade, sempre vai ter uma informação que permita a ele gerar um resultado eficaz no seu papel. O Programa Vizinhança Solidária ainda está em expansão, a área norte tem uma grande adesão e os ganhos estão despontando”.

A relação entre a comunidade e a polícia é fundamental para combater a violência.

De acordo com o cel. PM Leandro Gomes Santana, a comunidade colabora muito com a Polícia Militar no sentido de levar ao  conhecimento do órgão competente o que acontece na sua região e no seu bairro.

“A relação entre comunidade e polícia é fundamental, realmente a força contra o crime está na união entre as duas. Todo o planejamento operacional é baseado nos indicadores criminais, então o registro dos fatos também é fundamental. É muito importante, havendo algum tipo de crime, que  ele seja levado ao conhecimento do órgão competente para que  isso se formule a partir de um registro e permita à instituição Policia Militar  desenvolver um planejamento mais próximo possível da realidade enfrentada. Infelizmente, muitas vezes a subnotificação da iniciativa de se formular um registro não nos permite ser mais precisos no nosso trabalho. Mas isso é um processo e um trabalho de construção”.

Por fim, o comandante afirmou o magnífico papel da imprensa em especial as mídias regionais e o jornal Semanário da Zona Norte.

“O papel das mídias regionais, em especial o Semanário da Zona Norte, é potencializado e favorecido à medida que a população é esclarecida sobre as ações policiais e as operações que estão sendo difundidas e mesmo das orientações de segurança que são essenciais. Segundo a própria Constituição Federal, ainda que haja uma responsabilidade do Estado em relação à segurança pública, é um dever e uma responsabilidade de todos cooperar para que a segurança seja preservada”.

Estatísticas mostram o comparativo dos índices criminais nos últimos dois anos por delito na região da Zona Norte de São Paulo:

  • Homicídio doloso: aumento de 6,3%
  • Latrocínio: redução de 45%
  • Roubo outros: redução de 12,7%
  • Roubo de veículos: redução de 9,4%
  • Roubo a banco: 9 ocorrências em 2017

  e 8 ocorrências em 2018

  • Furto de veículos: 2,7%

 

  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no LinkeDin
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Comando de Policiamento de Área Três divulga os índices criminais dos últimos dois anos

Na tarde de quarta-feira, dia 6 de fevereiro, o comandante do Policiamento de Área Metropolitana-Três (CPA/M-3), cel. PM Leandro Gomes Santana, visitou o jornal Semanário da Zona Norte para uma conversa informal. Na ocasião, ele falou do balanço de sua gestão nos nove meses à frente do CPA/M-3, da significativa redução nos índices de criminalidade nos últimos dois anos, da importância do Programa Vizinhança Solidária e o fundamental papel das mídias regionais. 

Para o cel. PM Leandro Gomes Santana, a prevenção é fundamental no combate à criminalidade e isso só é possível através do trabalho ostensivo dos policiais militares.

“É um trabalho contínuo dos comandos anteriores que se esforçaram muito, meu compromisso é dar sequência a um trabalho de gestão que vem sendo desenvolvido há anos na instituição, tanto no aspecto operacional como nas melhorias das condições de trabalho dos policiais militares junto à filosofia de comando implementada pelo Comando Geral através do comandante cel. PM Marcelo Vieira Salles. Em relação à área norte, o trabalho tem sido feito na perspectiva do incremento nas ações de polícia preventiva ou seja, o aumento na ostensividade que permita de fato a prevenção ao crime. Os números demonstram uma redução significativa sobretudo nos crimes de roubo e furto. Esses dados mostram que realmente há uma atuação que tem cooperado para a prevenção”.

O comandante do CPA/M-3 também ressaltou a importância do Programa Vizinhança Solidária, principalmente nos pontos mais críticos da cidade.

“O Comando da instituição tem tomado uma série de medidas na sua gestão operacional e elas têm favorecido realmente uma locação da nossa força de trabalho nos pontos mais críticos. Então, é um trabalho conjunto e de inteligência com verificação dos indicadores criminais, ouvindo a sociedade por meio dos Conselhos Comunitários de Segurança, designando a força policial para onde há maior propensão do crime. É muito importante perceber a cooperação da comunidade por meio do Programa Vizinhança Solidária. O programa traz um potencial de orientação para o patrulhamento que favorece muito o ganho na prevenção, porque o policial em contato direto com  a comunidade, sempre vai ter uma informação que permita a ele gerar um resultado eficaz no seu papel. O Programa Vizinhança Solidária ainda está em expansão, a área norte tem uma grande adesão e os ganhos estão despontando”.

A relação entre a comunidade e a polícia é fundamental para combater a violência.

De acordo com o cel. PM Leandro Gomes Santana, a comunidade colabora muito com a Polícia Militar no sentido de levar ao  conhecimento do órgão competente o que acontece na sua região e no seu bairro.

“A relação entre comunidade e polícia é fundamental, realmente a força contra o crime está na união entre as duas. Todo o planejamento operacional é baseado nos indicadores criminais, então o registro dos fatos também é fundamental. É muito importante, havendo algum tipo de crime, que  ele seja levado ao conhecimento do órgão competente para que  isso se formule a partir de um registro e permita à instituição Policia Militar  desenvolver um planejamento mais próximo possível da realidade enfrentada. Infelizmente, muitas vezes a subnotificação da iniciativa de se formular um registro não nos permite ser mais precisos no nosso trabalho. Mas isso é um processo e um trabalho de construção”.

Por fim, o comandante afirmou o magnífico papel da imprensa em especial as mídias regionais e o jornal Semanário da Zona Norte.

“O papel das mídias regionais, em especial o Semanário da Zona Norte, é potencializado e favorecido à medida que a população é esclarecida sobre as ações policiais e as operações que estão sendo difundidas e mesmo das orientações de segurança que são essenciais. Segundo a própria Constituição Federal, ainda que haja uma responsabilidade do Estado em relação à segurança pública, é um dever e uma responsabilidade de todos cooperar para que a segurança seja preservada”.

Estatísticas mostram o comparativo dos índices criminais nos últimos dois anos por delito na região da Zona Norte de São Paulo:

  • Homicídio doloso: aumento de 6,3%
  • Latrocínio: redução de 45%
  • Roubo outros: redução de 12,7%
  • Roubo de veículos: redução de 9,4%
  • Roubo a banco: 9 ocorrências em 2017

  e 8 ocorrências em 2018

  • Furto de veículos: 2,7%

 

Publicidade