SEMANÁRIO ZONA NORTE - JORNAL DE MAIOR CIRCULAÇÃO NA ZONA NORTE

2018: O ano da renovação

O ano de 2018 foi marcado por diversos acontecimentos que impactaram as nossas vidas

O ano de 2018 foi marcado por diversos acontecimentos que impactaram as nossas vidas, sejam eles, políticos, financeiros e familiares, porém ao fim dele, renovamos os nossos votos de esperança e renovação.

A primeira grande notícia ocorreu no dia 24 de janeiro, com a condenação do ex-presidente Lula, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Sua prisão, porém, aconteceu no dia 7 de abril, após muitas discussões jurídicas e manifestações públicas.

O mês de fevereiro foi marcado pela intervenção federal no Rio de Janeiro. A nomeação do general Walter Souza Braga Netto, como interventor do Estado no combate à violência mostrou aos cariocas a força do Exército brasileiro.

O terremoto de 6,8 graus que atingiu a Bolívia foi sentido em várias cidades do Brasil, como Distrito Federal, São Paulo, Santos, Marília, São Carlos, Araxá, Belo Horizonte, Uberlândia, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Por aqui, o abalo sísmico impactou a região da Avenida Paulista no dia 1º de abril.

Um mês depois, tivemos o grave incêndio no Centro de São Paulo, que ocasionou o desabamento de um Edifício de 24 andares, no Largo do Paiçandu. O espaço era ocupado por cerca de 90 famílias. Ainda no mês de maio, só que no dia 21, tivemos a greve nacional dos caminhoneiros. Os motoristas protestaram por cinco dias seguidos contra o aumento do preço dos combustíveis, o fim da cobrança de pedágio por eixo suspenso e pelo fim do PIS/Cofins sobre o diesel. A paralisação afetou órgãos públicos e particulares e provocou um verdadeiro caos no país.

No mês de julho, vivemos a euforia e a tristeza de mais uma Copa do Mundo. A derrota por 2 a 1, diante dos belgas, mostrou a todos nós, que não somos mais o país da bola, e de quebra, vimos a França levantar o caneco mais uma vez.

No dia 2 de setembro, vivenciamos novamente um incêndio de grandes proporções. Desta vez o fato aconteceu no prédio do Museu Nacional do Brasil, na Quinta da Boa Vista, zona norte do Rio de Janeiro, atingindo três andares e causando prejuízos irreparáveis à cultura nacional. Estima-se que 80% do acervo localizado no museu tenha se perdido no incidente.

Ainda em setembro, e sob o “clima Eleitoral”, o então candidato à presidência da República Jair Bolsonaro foi vítima de uma tentativa de assassinato durante um comício em Juiz de Fora, Minas Gerais.  Apesar do susto e de toda a comoção nacional, Bolsonaro seguiu com a sua campanha, e mesmo não podendo ir às ruas e debate, viu inúmeras manifestações populares acontecerem. As mais marcantes no dia 29 de setembro, onde habitantes de mais de 100 cidades foram às ruas, contra e a favor do candidato, mostrando uma divisão política no país.

Porém, no dia 28 de outubro, e com pouco mais de 55% dos votos, o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, derrotou o candidato Fernando Haddad e é eleito presidente do Brasil. No âmbito paulista, tivemos a vitória apertada de João Dória na disputa pelo governo do Estado. Outra mudança significativa ocorreu na Assembleia Legislativa, onde dos atuais 75 deputados, apenas 43 se reelegeram.

Que a palavra Renovação, tão pregada em 2018, não seja esquecida em 2019, e que a fé e a esperança andem juntas. Fica a nossa torcida para que os governantes eleitos possam colocar o Brasil novamente nos trilhos do futuro.

* Diretor-responsável do jornal Semanário da Zona Norte

  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

2018: O ano da renovação

O ano de 2018 foi marcado por diversos acontecimentos que impactaram as nossas vidas, sejam eles, políticos, financeiros e familiares, porém ao fim dele, renovamos os nossos votos de esperança e renovação.

A primeira grande notícia ocorreu no dia 24 de janeiro, com a condenação do ex-presidente Lula, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Sua prisão, porém, aconteceu no dia 7 de abril, após muitas discussões jurídicas e manifestações públicas.

O mês de fevereiro foi marcado pela intervenção federal no Rio de Janeiro. A nomeação do general Walter Souza Braga Netto, como interventor do Estado no combate à violência mostrou aos cariocas a força do Exército brasileiro.

O terremoto de 6,8 graus que atingiu a Bolívia foi sentido em várias cidades do Brasil, como Distrito Federal, São Paulo, Santos, Marília, São Carlos, Araxá, Belo Horizonte, Uberlândia, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Por aqui, o abalo sísmico impactou a região da Avenida Paulista no dia 1º de abril.

Um mês depois, tivemos o grave incêndio no Centro de São Paulo, que ocasionou o desabamento de um Edifício de 24 andares, no Largo do Paiçandu. O espaço era ocupado por cerca de 90 famílias. Ainda no mês de maio, só que no dia 21, tivemos a greve nacional dos caminhoneiros. Os motoristas protestaram por cinco dias seguidos contra o aumento do preço dos combustíveis, o fim da cobrança de pedágio por eixo suspenso e pelo fim do PIS/Cofins sobre o diesel. A paralisação afetou órgãos públicos e particulares e provocou um verdadeiro caos no país.

No mês de julho, vivemos a euforia e a tristeza de mais uma Copa do Mundo. A derrota por 2 a 1, diante dos belgas, mostrou a todos nós, que não somos mais o país da bola, e de quebra, vimos a França levantar o caneco mais uma vez.

No dia 2 de setembro, vivenciamos novamente um incêndio de grandes proporções. Desta vez o fato aconteceu no prédio do Museu Nacional do Brasil, na Quinta da Boa Vista, zona norte do Rio de Janeiro, atingindo três andares e causando prejuízos irreparáveis à cultura nacional. Estima-se que 80% do acervo localizado no museu tenha se perdido no incidente.

Ainda em setembro, e sob o “clima Eleitoral”, o então candidato à presidência da República Jair Bolsonaro foi vítima de uma tentativa de assassinato durante um comício em Juiz de Fora, Minas Gerais.  Apesar do susto e de toda a comoção nacional, Bolsonaro seguiu com a sua campanha, e mesmo não podendo ir às ruas e debate, viu inúmeras manifestações populares acontecerem. As mais marcantes no dia 29 de setembro, onde habitantes de mais de 100 cidades foram às ruas, contra e a favor do candidato, mostrando uma divisão política no país.

Porém, no dia 28 de outubro, e com pouco mais de 55% dos votos, o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, derrotou o candidato Fernando Haddad e é eleito presidente do Brasil. No âmbito paulista, tivemos a vitória apertada de João Dória na disputa pelo governo do Estado. Outra mudança significativa ocorreu na Assembleia Legislativa, onde dos atuais 75 deputados, apenas 43 se reelegeram.

Que a palavra Renovação, tão pregada em 2018, não seja esquecida em 2019, e que a fé e a esperança andem juntas. Fica a nossa torcida para que os governantes eleitos possam colocar o Brasil novamente nos trilhos do futuro.

* Diretor-responsável do jornal Semanário da Zona Norte

Publicidade