SEMANÁRIO ZONA NORTE - JORNAL DE MAIOR CIRCULAÇÃO NA ZONA NORTE

José Renato Nalini é homenageado com a Ordem do Mérito da República de Portugal

O embaixador de Portugal no Brasil, Jorge Cabral

O embaixador de Portugal no Brasil, Jorge Cabral, entregou a Ordem do Mérito Portuguesa, no grau de Comendador, a José Renato Nalini.

A honraria concedida pelo presidente da República levou em consideração o empenho do homenageado, então secretário da Educação do Estado de São Paulo, em viabilizar a instalação da Escola Portuguesa em São Paulo.

Um projeto de mais de cinco décadas encontrava inúmeros óbices burocráticos e impedia que Portugal tivesse a sua Escola no Brasil, quando já possui unidades de ensino similares em todas as outras ex-Colônias lusófonas.

São Paulo possui escola alemã, Porto Seguro, francesa, Liceu Pasteur, italiana, o Dante Alighieri, espanhola, Miguel de Cervantes, norte-americana com várias opções, além das unidades japonesas e chinesas.

A partir de agora, há bases concretas para que os paulistas possam estudar numa unidade de ensino binacional, com certificação dúplice, o que garante aos brasileiros nela formados o ingresso automático nas Universidades portuguesas e de toda a Comunidade Europeia.

O prédio em que se instalará a Escola Portuguesa já foi chamado "Escola de Portugal" e está em Perdizes, num bairro que se originou de loteamento de iniciativa lusa.

Os entraves jurídicos foram eliminados diante da expertise do secretário Nalini, que deixou a presidência do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo e uma carreira de 43 anos no sistema Justiça, para assumir a Secretaria da Educação num momento crítico e aflitivo. Nalini elogiou a atuação segura e persistente do cônsul-geral de Portugal Paulo Lourenço, que foi batalhador incansável na consecução dessa grande conquista não só para Portugal, mas, principalmente, pelo Brasil. Houve inserção nos atos de criação da Escola Portuguesa de cláusula que permitirá que alunos carentes participem desse processo educacional de excelência, o que é de extrema importância para as necessidades brasileiras, tão frágeis no setor educacional.

  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

José Renato Nalini é homenageado com a Ordem do Mérito da República de Portugal

O embaixador de Portugal no Brasil, Jorge Cabral, entregou a Ordem do Mérito Portuguesa, no grau de Comendador, a José Renato Nalini.

A honraria concedida pelo presidente da República levou em consideração o empenho do homenageado, então secretário da Educação do Estado de São Paulo, em viabilizar a instalação da Escola Portuguesa em São Paulo.

Um projeto de mais de cinco décadas encontrava inúmeros óbices burocráticos e impedia que Portugal tivesse a sua Escola no Brasil, quando já possui unidades de ensino similares em todas as outras ex-Colônias lusófonas.

São Paulo possui escola alemã, Porto Seguro, francesa, Liceu Pasteur, italiana, o Dante Alighieri, espanhola, Miguel de Cervantes, norte-americana com várias opções, além das unidades japonesas e chinesas.

A partir de agora, há bases concretas para que os paulistas possam estudar numa unidade de ensino binacional, com certificação dúplice, o que garante aos brasileiros nela formados o ingresso automático nas Universidades portuguesas e de toda a Comunidade Europeia.

O prédio em que se instalará a Escola Portuguesa já foi chamado "Escola de Portugal" e está em Perdizes, num bairro que se originou de loteamento de iniciativa lusa.

Os entraves jurídicos foram eliminados diante da expertise do secretário Nalini, que deixou a presidência do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo e uma carreira de 43 anos no sistema Justiça, para assumir a Secretaria da Educação num momento crítico e aflitivo. Nalini elogiou a atuação segura e persistente do cônsul-geral de Portugal Paulo Lourenço, que foi batalhador incansável na consecução dessa grande conquista não só para Portugal, mas, principalmente, pelo Brasil. Houve inserção nos atos de criação da Escola Portuguesa de cláusula que permitirá que alunos carentes participem desse processo educacional de excelência, o que é de extrema importância para as necessidades brasileiras, tão frágeis no setor educacional.

Publicidade